Efeitos do alumínio no crescimento e na absorção de nutrientes em plantas jovens de pinhão-manso

Fabio Steiner, Tiago Zoz, Artur Soares Pinto Junior, Deise Dalazen Castagnara, João Alexandre Lopes Dranski

Abstract


A toxicidade de alumínio (Al3+) é um dos principais fatores que limitam a produtividade das culturas em solos ácidos. O objetivo deste estudo foi avaliar o efeito do alumínio no crescimento e na absorção de fósforo, cálcio, magnésio e alumínio em plantas jovens de pinhão-manso, cultivadas em solução nutritiva. O experimento foi conduzido em vasos de 2,5 L e as plantas crescidas em casa de vegetação. Após 14 dias de adaptação em solução nutritiva, as plantas foram submetidas a concentrações de Al de: 0; 370; 740; 1.110 e 1.480 ?mol L–1, que corresponderam a atividade de Al3+ em solução de: 13,3; 35,3; 90,0; 153,3 e 220,7 ?mol L–1 de Al3+, respectivamente. A partição de matéria seca entre raízes, caule e folhas e os teores de P, Ca, Mg e Al no tecido vegetal foram avaliados após 75 dias de exposição ao Al. O aumento da atividade de Al3+ em solução diminuiu progressivamente o crescimento da parte aérea e das raízes das plantas de pinhão-manso, sendo que nas duas maiores atividades de Al3+ as plantas apresentaram anormalidades morfológicas típicas de injúria provocada por esse metal. O aumento da atividade de Al3+ reduziu os teores de P nas folhas e de Ca e Mg nas folhas e raízes do pinhão-manso reportando o efeito do Al na absorção, transporte e utilização destes nutrientes pelas plantas. O Al acumulou-se, preferencialmente, no sistema radicular do pinhão-manso, sendo pequena a quantidade transportada para a parte aérea.


Keywords


Jatropha curcas; Toxicidade de alumínio; Tolerância ao alumínio.



DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-0359.2012v33n5p1779

Semina: Ciênc. Agrár.
Londrina - PR
E-ISSN 1679-0359
DOI: 10.5433/1679-0359
E-mail: semina.agrarias@uel.br
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional