Crescimento e lignificação de raízes de soja convencional e resistente ao glifosato, em baixa temperatura

Patricia da Costa Zonetti, Leticia Sayuri Suzuki D’Oliveira, Edicleia Aparecida Bonini, Maria de Lourdes Lucio Ferrarese, Osvaldo Ferrarese-Filho

Abstract


O estresse causado pela baixa temperatura, dentre outras implicações, afeta o crescimento do vegetal assim como o seu metabolismo secundário. Pelo fato da soja RR apresentar variante enzimática de uma das principais vias do metabolismo secundário, ligada à síntese de lignina, pode apresentar comportamento diferenciado, sob baixa temperatura, se comparada com sua linhagem parental. O objetivo deste trabalho foi investigar possíveis diferenças no crescimento e nos conteúdos de lignina nas raízes de soja cultivar transgênica resistente ao glifosato e cultivar parental em resposta a redução de temperatura. Após três dias de germinação das sementes, as plântulas foram mantidas em solução nutritiva, a 10, 15, 20 e 25°C (±2°C), com fotoperíodo de 12 horas. Após 96 horas, foi avaliado o comprimento relativo da raiz primária, biomassa fresca e seca das raízes e os teores de lignina. Os resultados mostram que a baixa temperatura promoveu redução no crescimento das plântulas e raízes. Dentre as cultivares em estudo, a soja transgênica apresentou maior comprimento relativo, biomassas e teores de lignina.


Keywords


Soja transgênica; Estresse; Fenilpropanóides.



DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-0359.2013v34n2p509

Semina: Ciênc. Agrár.
Londrina - PR
E-ISSN 1679-0359
DOI: 10.5433/1679-0359
E-mail: semina.agrarias@uel.br
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional