Síndrome do ovário remanescente em pequenos animais

Kellen de Sousa Oliveira, Marco Augusto Machado Silva, Maurício Veloso Brun, José Félix Pérez-Gutiérrez, Gilson Hélio Toniollo

Abstract


A síndrome do ovário remanescente (SOR) é um distúrbio iatrogênico em cadelas e gatas caracterizado pelo retorno do estro após contracepção cirúrgica devido à presença de fragmento de tecido ovariano na cavidade abdominal. Frequentemente, o ovário remanescente está situado no pedículo ovariano direito, sobretudo devido a sua posição topográfica mais profunda e cranial em comparação ao ovário esquerdo. Os principais sinais clínicos de SOR em pequenos animais são cio e presença de edemaciamento/secreção vulvar/vaginal, especialmente em caninos. O diagnóstico deve ser realizado por meio de citologia vaginal quando detecta-se o interesse dos machos pela cópula com a fêmea acometida, dosagem sérica de estrógeno e progesterona e/ou por meio do teste provocativo com administração de GnRH ou hCG. Contudo, citologia vaginal constitui a opção de melhor custo-benefício para o diagnóstico. Atualmente, o tratamento de escolha é cirúrgico por meio de laparotomia exploratória ou laparoscopia, seguido pela remoção do ovário remanescente. O tratamento cirúrgico tem maiores taxas de sucesso quando realizado com o animal em diestro (i.e., entre 15 e 60 dias após detectada a atração dos machos). Ademais, a realização de um procedimento cirúrgico preciso, auxiliado por técnicas avançadas de visualização durante a ovário-histerectomia ou ovariectomia constitui a melhor forma de prevenção SOR em animais de companhia.


Keywords


Retirada parcial do ovário; Castração; Estro recorrente; Cadelas; Gatas.



DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-0359.2012v33n1p363

Semina: Ciênc. Agrár.
Londrina - PR
E-ISSN 1679-0359
DOI: 10.5433/1679-0359
E-mail: semina.agrarias@uel.br
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional