Avaliação clínica e hemogasométrica de ovinos com intoxicação cúprica acumulativa

Enrico Lippi Ortolani, Carlos Henrique Machado, Antonio Humberto Hamad Minervino, Raimundo Alves Barrêto-Júnior, Clara Satsuk Mori, Selwyn Arlington Headley

Abstract


Foram utilizados 16 cordeiros, sendo 12 submetidos à intoxicação cúprica e quatro animais controle. Quando foi verificada a presença de hemoglobinúria, os animais intoxicados foram aleatoriamente distribuídos em dois grupos, quatro animais não tratados e oito animais tratados com tetratiomolybidato de amônia. Foi realizado exame clínico e coleta de sangue diariamente desde o início da intoxicação até 30 dias após. Foram analisados o volume globular, concentração de hemoglobina plasmática e avaliação hemogasométrica. Nos animais intoxicados, foi observado elevação da freqüência cardíaca e da temperatura retal e redução da freqüência respiratória e dos movimentos ruminais. Os ovinos intoxicados desenvolveram alcalose moderada causada por retenção de bicarbonato seguido de um aumento pontual da pCO2 para compensar a alcalose em curso. Quanto maior o grau de anemia foi maior a freqüência cardíaca, enquanto que quanto maior o grau de alcalose menor a freqüência respiratória. Houve uma relação positiva entre a elevação da hemoglobina plasmática livre e a temperatura retal, e quanto maior a temperatura retal menor a freqüência de movimentos ruminais.


Keywords


Ovinos; Intoxicação cúprica; Hemólise; Volume globular; Alcalose; Hemoglobina.



DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-0359.2011v32n3p1123

Semina: Ciênc. Agrár.
Londrina - PR
E-ISSN 1679-0359
DOI: 10.5433/1679-0359
E-mail: semina.agrarias@uel.br
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional