Levantamento de riquétsias em humanos, cães, cavalos e carrapatos no Norte do Paraná, Brasil

Katia Tamekuni, Roberta dos Santos Toledo, Mauro de Freitas Silva Filho, Valeska Bender Haydu, Richard Campos Pacheco, Marcelo Bahia Labruna, John Stephen Dumler, Odilon Vidotto

Abstract


Febre Maculosa Brasileira é uma doença causada por Rickettsia rickettsii, e é transmitida para humanos e animais por Amblyomma spp. O objetivo deste trabalho foi estudar a epidemiologia de riquétsias do grupo da febre em áreas rurais do Norte do Paraná. No município de Alvorada do Sul, 88 pessoas, 83 cães e 18 cavalos foram amostrados, e no município de Arapongas, 138 seres humanos, 90 cães e 18 cavalos foram estudados. Todos os soros foram testados por IFI com R. rickettsii e R. parkeri como antígenos, considerando-se os títulos ? 64 positivos. Carrapatos coletados de cães e cavalos foram testados por PCR. Em Alvorada do Sul, 24% e 16,1% dos seres humanos, 55,6% e 22,2% de cavalos e, 22,9% e 18,1% de cães foram soropositivos para R. rickettsii e R. parkeri, respectivamente. Em Arapongas, 9,4% e 4,3% dos seres humanos, 5,6% e 5,6% de cavalos e, 13,3% e 12,2% dos cães foram soropositivos para R. rickettsii e R. parkeri, respectivamente. A PCR detectou 7 carrapatos com seqüências gltA que mostrou semelhança com R. bellii. A presença de anticorpos para R. rickettsii e R. parkeri em cães, cavalos e seres humanos demonstra um risco potencial para riquétsias do grupo da febre maculosa nestas áreas.


Keywords


Rickettsia spp.; Febre maculosa brasileira; Amblyomma spp.; Epidemiologia.



DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-0359.2011v32n4p1527

Semina: Ciênc. Agrár.
Londrina - PR
E-ISSN 1679-0359
DOI: 10.5433/1679-0359
E-mail: semina.agrarias@uel.br
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional