Monensina sódica ou extrato de própolis na dieta de bovinos Nelore terminados em confinamento: composição química e perfil de ácidos graxos do músculo Longissimus

Fernando Zawadzki, Ivanor Nunes Prado, Jair de Araújo Marques, Lúcia Maria Zeoula, Rodolpho Martin do Prado, Carlos Alberto Fugita, Maribel Velandia Valero, Daniele Maggioni

Abstract


Este trabalho foi realizado para avaliar a composição química e a composição de ácidos graxos do músculo Longissimus de 33 machos não castrados da raça Nelore com 27 meses de idade e peso médio inicial de 402 ± 7.58 kg terminados em confinamento. Foram usados três tratamentos: Controle – CON, Monensina – MON e Extrato de Própolis – PRO. Os bovinos foram mantidos confinados durante 84 dias e abatidos com peso vivo médio final de 488 ± 24.9 kg. A adição dos aditivos (monensina ou extrato de própolis) não tiveram influência (P > 0,10) na composição química do músculo Longissimus dos bovinos. A composição de ácidos graxos saturados (AGS) foi semelhante entre os tratamentos (P > 0,10). A composição de ácidos graxos monoinsaturados foi diferente entre os tratamentos (P < 0,01). Valor superior foi observado nos bovinos da dieta CON (47,0%). Da mesma forma, houve diferença (P < 0,01) entre tratamentos para os ácidos graxos poliinsaturados (AGPI). Bovinos do tratamento (9,92%) apresentaram maior (P < 0,01) valor para os AGPI. Os bovinos dos tratamentos CON (6,74%) e PRO (6,93%) apresentaram menores valores (P < 0,01) para os AGPI.


Keywords


Aditivos; CLA; Colesterol; Qualidade da carne; Ruminantes.



DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-0359.2011v32n4p1627

Semina: Ciênc. Agrár.
Londrina - PR
E-ISSN 1679-0359
DOI: 10.5433/1679-0359
E-mail: semina.agrarias@uel.br
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional