Adubação mineral e orgânica no desenvolvimento de crisântemo

Ana Maria Conte e Castro, Osvaldo Sato, Kleber Henrique dos Santos, Rafael Aguiar Zaparolli, Sérgio Birello Sartori, Gilberto Bueno Demétrio

Resumo


O objetivo do trabalho foi avaliar a utilização de produtos orgânicos em comparação com adubação mineral no desenvolvimento do crisântemo. O delineamento experimental foi blocos ao acaso, composto por 7 tratamentos, 9 repetições: T1 (100% de substrato comercial-SC+ adubação mineral-AM1); T2 (100% SC + AM2); T3 (100% SC + AM3); T4 (100% SC + AM4); T5 (70% SC + 30% esterco bovino); T6 (70% SC + 30% de esterco de ovinos); T7 (70% SC + 30% esterco de aves). A adubação mineral foi realizada na forma de fertirrigação com AM1 = (nitrato de cálcio 0,2g L-1, sulfato de amônio 0,4 g L-1, nitrato de potássio 0,2 g L-1, sulfato de magnésio 0,3 g L-1 e mono amônio fosfato 0,05g L-1), na dose de 50 ml por vaso; AM2 = ULTRAFLOR® (12% N, 6% P2O5, 12% K2O), aplicando 0,8g vaso-1, mensalmente; AM3= NUTRIVERDE® (13% N, 13% P2O5, 15% K2O, 1% Ca, 4% S, 1% Mg, 0,05% B, 0,005% Co, 0,05% Cu, 0,2% Fe, 0,005% Mo, 0,1% Zn), aplicando 2,6 g L-1, 100 mL vaso -1, quinzenalmente e AM4 =OURO VERDE® (15% N, 15% P2O5, 20% K2O), aplicando 2,0g vaso-1, quinzenalmente. Foram amostrados o número de hastes secundárias, altura de planta, diâmetro da haste e das inflorescências, número de folhas e de inflorescências e peso da massa verde da parte aérea. Recomenda-se a adubação mineral formulada (T1) ou a adubação com esterco bovino ou de aves. Dentre os produtos comercias, o nutriverde ® pode ser utilizado.


Palavras-chave


Adubo orgânico; Substrato; Dendranthema grandiflora

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-0359.2010v31n1p93

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.

Semina: Ciências Agrárias

Londrina - PR
ISSN 1676-546X

E-ISSN 1679-0359

semina.agrarias@uel.br