Manejo orgânico e convencional do sistema de produção de cabras leiteiras Parda Alpina no Nordeste do Brasil

Wilma Emanuela Silva, João Paulo Guimarães Soares, Jenevaldo Barbosa Silva, Débora Débora Andréa Evangelista Façanha, Luiz Januário Magalhães Aroeira, Juaci Vitória Malaquias, Jean Berg Alves da Silva, Ana Carla Diógenes Suassuna Bezerra, Maria Rociene Abrantes

Abstract


 

Objetivou-se neste trabalho comparar o manejo orgânico e convencional de um sistema de produção de caprinos leiteiros em Angicos, Rio Grande do Norte, Nordeste do Brasil. Foram utilizadas 26 cabras da Raça Parda Alpina em lactação, sendo 13 em manejo orgânico (MO) e 13 em manejo convencional (MC). O delineamento experimental foi o inteiramente casualizado, com dois tratamentos e 13 repetições. Os animais do MO foram submetidos à sincronização de estro com efeito macho, tratamento à base de fitoterápicos contra endoparasitoses (Extrato de limão (Citrus Limonium) e alho (Allium sativum), e no controle de mastite usando o Kit Embrapa de ordenha manual à base de alecrim pimenta (Lippia sidoides). No MC os animais receberam hormônios sintéticos (Promone-e®, Prólise® e Novormon®) para a sincronização do estro, Ivermectina para endoparasitoses e álcool iodado para prevenção de mastite auxiliado pelo Kit Embrapa de ordenha manual. Não houve diferença significativa para os resultados de porcentagem de prenhezes, OPG, escores do FAMACHA©, composição físico-química do leite e Contagem de Células Somáticas (CCS) nos dois tipos de manejo. No MO e MC as cabras apresentaram médias de percentagem de prenhezes positiva de 61,54% em ambos os sistemas. Os valores médios da contagem de ovos observados nos MO e MC foram de 24 e 35 de OPG, respectivamente. Pelo método FAMACHA© observou-se escores de 1 e 2; 2, 3 e 4 no MO e MC respectivamente. As cabras apresentaram pesos médios no MO (48,53 Kg) e MC (55,92 Kg). A produção de leite, gordura, proteína, lactose, extrato seco total e extrato seco desengordurado no MO (0,971kg/dia; 2,210; 2,322; 3,306; 7,866; 5,566) foram ligeiramente superiores aos valores do MC (0,946 kg/dia 1,812; 1,812; 2,868; 6,74; 4,928). Para a CCS o MO (904.860 cel/mL) e MC (1.020.520 cel/mL) apresentaram valores próximos, estando o MO dentro dos valores aceitáveis para leite de cabra. O manejo orgânico foi equivalente ao manejo convencional quanto ao ganho de peso, manutenção dos padrões de saúde dos animais, controle reprodutivo e sanitário e quanto à quantidade e qualidade do leite, mostrando-se tecnicamente adequado ao sistema de produção de cabras leiteiras nas condições do semiárido.


Keywords


Agroecologia; Efeito macho; Endoparasitas; Fitoterápicos e mastite.

Full Text:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-0359.2015v36n5p3189

Semina: Ciênc. Agrár.
Londrina - PR
E-ISSN 1679-0359
DOI: 10.5433/1679-0359
E-mail: semina.agrarias@uel.br
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional