Efeitos do pH da água na ativação dos gametas, desenvolvimento embrionário e normalidade larval no Prochilodus lineatus

Eduardo Antônio Sanches, Giovano Neumann, Cesar Perreira Rebechi de Toledo, Robie Allan Bombardelli

Abstract


Foram investigados os efeitos do pH da água de criação na motilidade espermática, fertilização artificial, e no desenvolvimento inicial da prole de curimba, Prochilodus lineatus. Após a indução hormonal, realizamos a ativação dos gametas, fecundação artificial e incubação dos embriões em água com os valores de pH de 4,43 ± 0,13, 5,82 ± 0,14, 7,37 ± 0,10, 8,21 ± 0,06 e 9,57 ± 0,16. Quando o pH da água foi de 6,65, a motilidade espermática foi mantida em ?25.21 s (P <0,05). As maiores taxas de fertilização (P <0,05) foram obtidas quando o pH da água variou de 5,82 ± 0,14 a 8,21 ± 0,06, e as maiores taxas de eclosão (P <0,05) foram observadas quando o pH da água foi de 7,37 ± 0,10. O pH da água entre 7,37 ± 0,10 e 8,21 ± 0,06 resultou na formação mais completa do espaço perivitelino (P <0,05); Além disso, os embriões incubados em águas alcalinas tiveram maior porcentagem de larvas normal (P <0,05), apesar do aumento dos níveis de mortalidade. Os nossos resultados indicam que o pH da água utilizada para a ativação dos gametas, a fertilização artificial do ovócitos, e de incubação dos ovos e larvas de P. lineatus deve ser ~ 7, a fim de promover a criação e produção bem sucedida de animais e de larvas normais.


Keywords


Reprodução artificial; Curimba; Fertilização; Peixe; Motilidade espermática; pH da água.

Full Text:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-0359.2015v36n4p2871

Semina: Ciênc. Agrár.
Londrina - PR
E-ISSN 1679-0359
DOI: 10.5433/1679-0359
E-mail: semina.agrarias@uel.br
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional