Desempenho do teste ELISA no diagnóstico da cisticercose em bovinos com diferentes antígenos e níveis de infecção

Letícia Ferreira Silva, Paulo Sérgio Arruda Pinto, Camilla Taveira Ducas Duarte, Tatiane de Oliveira Santos, Emílio Campos Acevedo Nieto, Rafaella Paola Meneguete dos Guimarães Peixoto

Abstract


Ensaios foram conduzidos para avaliar a eficiência de antígenos de larva de Taenia crassiceps (Tcra) no teste ELISA para o diagnóstico da cisticercose bovina. Três antígenos foram avaliados: total (T), total sonicado (Ts) e de membrana (M). As amostras analisadas foram soros-controle positivos e negativos para a cisticercose, além de soros de bovinos com outras  patologias. As taxas de sensibilidade para o teste ELISA foram respectivamente, com 2 e 3 desvios-padrão, 85,0 e 81,25% para o antígeno T, 82,5 e 78,75% para o antígeno Ts e 80,0 e 80,0% para o antígeno M; as taxas de especificidade, com 2 e 3 desvios-padrão, foram respectivamente: 47,5 e 58,75% para o antígeno T, 65,0 e 73,75% para o antígeno Ts e 58,75 e 62,5% para o antígeno M. Estes resultados demonstram que o ELISA, apesar de apresentar melhor desempenho em detectar animais experimentalmente infectados, apresentou taxa de sensibilidade superior ao exame anatomopatológico realizado durante a rotina de inspeção relatada por outros estudos. No entanto, o exame post mortem é superior quanto a especificidade, uma vez que é considerado altamente específico. Assim, a combinação de ambas as técnicas diagnósticas deve ser valorizada na detecção da cisticercose bovina, demonstrando a aplicabilidade prática do ELISA.

 


Keywords


Cisticercose bovina; ELISA; Taenia crassiceps; Taxas de desempenho.



DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-0359.2015v36n3Supl1p2013

Semina: Ciênc. Agrár.
Londrina - PR
E-ISSN 1679-0359
DOI: 10.5433/1679-0359
E-mail: semina.agrarias@uel.br
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional