Ocorrência de patógenos causadores de mastite subclínica no município de Jaguapitã, estado do Paraná - Brasil

Edivaldo Maziero Soethe, Mauricio Zampronio Affonso, Antonio Francisco Chaves Neto, Luiz Carlos Negri Filho, Dalton Evert Bronkhorst, Alexey Leon Gomel Bogado, Luiz Cesar da Silva, Flavio Antonio Barca Junior, Elsa Helena Walter Santana, Marcelo Diniz dos Santos, Werner Okano

Abstract


O objetivo desta pesquisa foi identificar a ocorrência dos patógenos causadores de mastite subclínica em um rebanho leiteiro tipo B no município de Jaguapitã, estado do Paraná, Brasil. Foram realizados 400 testes de Califórnia Mastite Teste (CMT) em amostras de leite de 100 animais, totalizando 400 tetos. Dentre os animais testados 55% reagiram ao CMT apresentando grau dois ou superior, com 157 tetos positivos. Após as amostras de leite dos 157 tetos serem submetidos à cultura em ágar sangue, 25,48% (40/157) não apresentaram crescimento ou houve crescimento de mais de duas colônias bacterianas, 28,03% (44/157) foram observadas Staphylococcus coagulase negativa (CNS), 8,28% (13/157) Streptococcus uberis, 7,64% (12/157) Staphylococcus aureus, 7,64% (12/157) Corynebacterium spp, 7,01% (11/157) Staphylococcus intermedius, 4,46% (7/157) Staphylococcus hyicus, 3,82% (6/157) Bacillus spp., 2,55% (4/157) para Streptococcus dysgalacteae, Enterobactéria e Leveduras. Conclui-se que a CNS é o mais relevante agente causador de mastite subclínica.


Keywords


CMT; Staphylococcus coagulase-negativa; Bovinos leiteiros; Leite tipo B.

Full Text:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-0359.2015v36n5p3233

Semina: Ciênc. Agrár.
Londrina - PR
E-ISSN 1679-0359
DOI: 10.5433/1679-0359
E-mail: semina.agrarias@uel.br
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional