Suplementação de triptofano, treonina e isoleucina em dietas com baixo nível protéico para poedeiras comerciais

Iván Camilo Ospina Rojas, Alice Eiko Murakami, Jamile Corina Fanhani, Karla Paola Picoli, Maria José Baptista Barbosa

Abstract


A isoleucina (Ile), treonina (Thr) e triptofano (Trp) são os possíveis candidatos a ser o terceiro aminoácido (AA) limitante na dieta de poedeiras comerciais. Este estudo foi realizado com objetivo de avaliar o efeito da suplementação da Ile, Thr e Trp sobre o desempenho produtivo, qualidade de ovos e parâmetros séricos de poedeiras Hy-Line W36 alimentadas com dietas contendo baixo nível de PB. Um total de 360 poedeiras com 30 semanas de idade foram distribuídas em um delineamento inteiramente casualizado com 9 tratamentos e 5 repetições com 8 aves por unidade experimental. Os tratamentos foram constituídos por uma dieta controle a base de milho e farelo de soja formulada com 15,5% de PB. Uma segunda dieta com 13% PB foi formulada para encontrar exigências de todos os AA essências da dieta controle, exceto para a Ile, Thr e Trp. Os demais tratamentos foram constituídos pela suplementação isolada ou combinada dos três AA na dieta com 13% de PB. A redução do nível protéico da dieta influenciou negativamente (p<0,05) a produtividade das aves, piorando a produção de ovos, conversão alimentar (kg kg-1 e kg dz-1) e massa de ovos. No entanto, estas variáveis foram restabelecidas na mesma proporção à dieta controle com a suplementação isolada ou combinada dos três AA estudados na dieta com 13% de PB. Dietas suplementadas individualmente com Ile ou em combinação com Thr e/ou Trp resultaram em aves com menores (p<0,05) concentrações séricas de ácido úrico e amônia que as aves que receberam as dietas com 15,5 (controle) e 13% de PB. Os resultados indicam que a proteína pode ser reduzida (13% PB) na dieta de poedeiras comerciais sem comprometer o desempenho, qualidade do ovo nem os parâmetros séricos com a suplementação individual de Ile, Thr ou Trp.

 


Keywords


Aminoácido; Avicultura; Desempenho; Proteína bruta; Qualidade de ovo.

Full Text:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-0359.2015v36n3p1735

Semina: Ciênc. Agrár.
Londrina - PR
E-ISSN 1679-0359
DOI: 10.5433/1679-0359
E-mail: semina.agrarias@uel.br
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional