Aspectos zoosanitários da ovinocultura no Sudeste do Brasil

Aurora Maria Guimarães Gouveia, Marcos Xavier Silva, Gabriela Canabrava Gouveia, Humberto Mello Brandão, Leticia Caldas Mendonça, Alessandro de Sá Guimarães

Abstract


Minas Gerais é o mais extenso dos quatro estados que compõem a região sudeste do Brasil, com o maior efetivo caprino dessa região. A caracterização dos aspectos sanitários da caprinocultura foi realizada em 84 rebanhos leiteiros em 81 municípios e 200 rebanhos de carne em 70 municípios de Minas Gerais. Um questionário foi preenchido para cada rebanho, requisitando informações sobre a fazenda, o rebanho e proprietario, realizado por veterinários do Instituto Mineiro de Agropecuaria (IMA). . Um banco de dados foi desenvolvido em Windows Excel e analisado utilizando o programa Epi-Info. Comparaçãoes entre variáveis categoricas foram feitas com teste de Qui-quadrado. A identificação individual dos animais era realizada em 73,8% das propriedades leiteiras e em 7,5% das propriedades de corte, o uso da quarentena em 15,5% e 4,0%, o isolamento de animais doentes em 30,9% e 11,0%, a solicitação de certificados sanitarios na aquisição de novos animais em 28,6% e 1,5%, o monitoramento veterinário em 52,4% e 1,5%, respectivamente. Os principais problemas sanitários relatados, nas propriedades leiteiras e de carne foram, respectivamente, aborto (50,0% e 49,5%), mastite (41,7% e 19,0%), pneumonia (37,4% e 16,5%), diarreia (34,5% e 16,5% ) e a linfadenite caseosa (20,2% e 43,0%).

 


Keywords


Caprinocultura; Aspectos epidemiológicos e sanitários; Minas Gerais; Brasil.

Full Text:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-0359.2015v36n1p277

Semina: Ciênc. Agrár.
Londrina - PR
E-ISSN 1679-0359
DOI: 10.5433/1679-0359
E-mail: semina.agrarias@uel.br
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional