Qualidade do leite bovino no Semiárido do Rio Grande do Norte, Brasil

Marcone Macêdo Tôrres Angicano, Alexandre Paula Braga, Luiz Januário Magalhães Aroeira, Adriano Henrique do Nascimento Rangel, Michelle Santos da Silva

Abstract


Objetivou-se com o presente trabalho, avaliar a composição e qualidade do leite cru refrigerado, proveniente de tanques, de acordo com o enquadramento dos produtores, o tipo de alimentação e os níveis de produção das propriedades que fornecem leite para a Associação dos Pequenos Agropecuaristas do Sertão de Angicos - APASA. Os dados coletados foram provenientes de 47 produtores, provenientes de diferentes cidades do estado do Rio Grande do Norte, vinculados a APASA. As coletas foram realizadas em 23 tanques ao longo do mês de junho de 2013, sendo duas coletas por semana, e cinco amostras por tanque, totalizando 920 observações. As propriedades foram caracterizadas de acordo com o tipo de tanque, particular ou comunitário; alimento fornecido durante as coletas, volumoso e volumoso + concentrado; o enquadramento do produtor, produtor familiar e não familiar; e por fim de acordo com a quantidade ou estrato de produção das propriedades. Foram realizadas as análises para os teores de gordura, proteína total, caseína, lactose, sólidos totais, extrato seco desengordurado (ESD), crioscopia, ureia, contagem de células somáticas (CCS) e resíduo de antibiótico. As análises estatísticas foram realizadas para cada grupo e as médias foram comparadas pelo Teste de Tukey, utilizando o nível de significância crítico de 5% de probabilidade através do procedimento PROC GLM do programa SAS®. A maioria dos componentes diferiu estatisticamente para cada classe analisada. A ureia e a CCS foram os componentes que mantiveram as maiores diferenças e variações, provavelmente devido a grande variedade no perfil dos produtores, e também, no caso da CCS, na qual os valores observados sofreram grande variação de amplitude. A maioria dos componentes do leite apresentaram diferença estatística entre tipo de estrato, tipo de produtor, tipo de alimentação e tipo de tanque, mas a sua magnitude pode ser considerada de baixa importância e, provavelmente, pouco influencie na fisiologia e produtividade do animal. Portanto, concluiu-se que, apesar das pequenas variações encontradas nos componentes do leite fornecido a APASA, eles são influenciados pelos diferentes tipos de manejo alimentar, volume de leite produzido, bem como pelo tipo de produtor

Keywords


Associação de produtores; Composição do leite; Leite cru refrigerado.

Full Text:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-0359.2015v36n4p2809

Semina: Ciênc. Agrár.
Londrina - PR
E-ISSN 1679-0359
DOI: 10.5433/1679-0359
E-mail: semina.agrarias@uel.br
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional