Caracterização fenotípica de equídeos criados no Pantanal do Mato Grosso do Sul

Julio Cesar de Souza, Marcos Paulo Gonçalves de Rezende, Geovane Gonçalves Ramires, Vanessa Terra Gonçalves, Carolina Fregonesi Souza, Nicacia Monteiro de Oliveira, Rodrigo Vedovato Ribeiro

Abstract


Objetivou-se caracterizar fenotipicamente os equídeos criados no Pantanal do Mato Grosso do Sul. Mensuraram-se 18 medidas lineares em 498 equídeos adultos pertencentes às raças Pantaneira (n = 52), Árabe (n = 28), Crioulo (n = 31), Mangalarga (n = 8), Quarto de Milha (n = 97), Petiço (n = 9), equinos mestiços (n = 170) e Muares (n = 74).Para realizar distâncias fenotípicas incluiu-se informações das raças Puro Sangue Inglês (n=14) e Brasileiro de Hipismo (n = 15), mensurados em Campo Grande- MS. Realizou-se análise de variância para verificar influência dos efeitos de grupo genético, categoria (equino ou muar), sexo, e suas interações; analisaram-se correlações fenotípicas e para verificação da distância euclidiana entre grupos genéticos realizou-se analise de cluster. Os efeitos de variância foram significativos (P<0,05) em muitas das características fenotípicas. Os equinos em relação aos muares apresentaram valores superiores para maior parte das medidas, exceto para o comprimento de cabeça, comprimento dorso lombar e perímetro de canela. Obtiveram maiores correlações fenotípicas entre peso e perímetro torácico (r = 0,98). A análise de agrupamento possibilitou verificar que os equídeos foram categorizados em 9 grupos, com 10 populações distintas. A análise de correspondência apresentou diferenças menos notáveis em seus padrões fenotípicos entre as raças Crioula, equinos mestiços, Muares, Pantaneiros e Mangalarga. O grupamento Petiço foi o único que tendeu a não se agrupar. As raças Quarto de Milha, Puro Sangue Inglês, Brasileiro de Hipismo apresentam padrões fenotípicos com maior distância em relação aos demais.


Keywords


Biometria; Equus; Genótipos; Morfologia; Região Pantaneira.

Full Text:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-0359.2015v36n5p3341

Semina: Ciênc. Agrár.
Londrina - PR
E-ISSN 1679-0359
DOI: 10.5433 / 1679-0359
E-mail:  semina.agrarias@uel.br
Este obra está licenciado com uma Licença  Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional