Surto de histomoníase em frangos caipiras no semiárido da Paraíba, Brasil

Jeann Leal Araújo, Roberio Gomes Olinda, Maria Talita Soares Frade, Lisanka Ângelo Maia, Antônio Flávio Medeiros Dantas

Abstract


Descreve-se um surto de histomoníase em frangos caipiras (Gallus gallus domesticus) na região semiárida da Paraíba. A doença ocorreu em pintos de aproximadamente 48 dias de idade durante um período de 15 dias. De um total de 16 pintos, sete apresentaram fezes amareladas liquefeitas, anorexia, letargia e morreram com 3 a 5 dias de evolução clínica. A taxa de mortalidade foi de 43,7%. Os pintos eram criados soltos em quintal de chão batido com outras 12 aves adultas que não adoeceram. Não eram vacinados e nem vermifugados. Na necropsia de uma ave as lesões eram restritas ao ceco e ao fígado. O ceco esquerdo estava distendido e na serosa havia áreas amareladas e discretamente elevadas. No fígado havia áreas avermelhadas e deprimidas centralmente, circundadas por halo pálido, distribuídas na superfície capsular e ao corte por todo o parênquima. Microscopicamente verificou-se tiflite e hepatite piogranulomatosa necrosante associada a miríades de Histomonas intralesionais. O tratamento das aves com metronidazol e albendazol foi eficaz no controle da histomoníase. Apesar de ser uma doença rara em frangos caipiras, ela pode ocorrer causando elevada taxa de mortalidade e perdas econômicas significativas.


Keywords


Histomonas meleagridis; Hepatite parasitária; Protozoários de aves.



DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-0359.2015v36n1p307

Semina: Ciênc. Agrár.
Londrina - PR
E-ISSN 1679-0359
DOI: 10.5433/1679-0359
E-mail: semina.agrarias@uel.br
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional