Zoonoses em cães e gatos atendidos em Projeto de Controle de Natalidade: Toxoplasma gondii, Leishmania spp. e Leptospira spp., sorodiagnóstico e epidemiologia

Eloiza Teles Caldart, Caroline Constantino, Aline Kuhn Sbruzzi Pasquali, Aline do Nascimento Benitez, Fernando Nakanishi Hamada, Renata Cristina Ferreira Dias, Andressa Maria Rorato-Nascimento, Elizabete Regina Marangoni Marana, Italmar Teodorico Navarro, Nilva Maria Freres Mascarenhas, Julio Cesar de Freitas, Roberta Lemos Freire

Abstract


A proximidade da relação homem-animal tem aumentado o risco de transmissão de doenças de caráter zoonótico. O objetivo desse trabalho foi determinar a prevalência de anticorpos IgG anti-Toxoplasma gondii, anti- Leishmania spp. e anti- Leptospira spp. nos cães e gatos atendidos pelo Projeto Controle de Natalidade (PCN) nos anos de 2004 a 2012 e verificar a significância estatística de variáveis ambientais e da população de estudo à presença dos agentes infecciosos. Amostras de sangue de 271 cães e 415 gatos foram colhidas por venopunção jugular ou cefálica para a posterior obtenção dos soros. Estes foram submetidos à técnica de imunofluorescência indireta para detecção de anticorpos IgG anti-T. gondii e anti-Leishmania spp. e à técnica de soroaglutinação microscópica para detecção de anticorpos anti- Leptospira spp. A tabulação dos dados foi realizada utilizando-se o pacote estatístico EpiInfo (3.4.3). Dos soros caninos examinados, 20,6% (56/271), 1,3% (3/236) e 21,6% (51/236) foram positivos para T. gondii, Leishmania spp. e Leptospira spp., respectivamente. Encontrou-se maior prevalência de anticorpos anti- T. gondii em cães sem raça definida (p=0, 0009), em cães alimentados com carne crua ou mal cozida (p= 0,0101) e naqueles que não receberam vacina polivalente (p= 0,0147). Não houve associação estatística entre as variáveis avaliadas no questionário epidemiológico para leishmaniose e leptospirose. Dos soros felinos analisados, 20,9% (87/415) foram positivos para T. gondii. Maiores prevalências foram observadas nos felinos com hábito de caçar roedores (p= 0,0388) e que não recebem água tratada (p= 0,0294). Os resultados obtidos confirmam a importância dos fatores de risco ingestão de carne crua ou mal cozida, ingestão de água não tratada e predação de roedores para infecção por T. gondii. Demonstrou-se baixa prevalência ao sorodiagnostico para Leishmania spp. Os sorovares de Leptospira spp. mais frequentes foram Copenhageni, Canicola e Butembo.


Keywords


Toxoplasmose; Leptospirose; Leishmaniose; Animais de companhia; Controle populacional.



DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-0359.2015v36n1p253

Semina: Ciênc. Agrár.
Londrina - PR
E-ISSN 1679-0359
DOI: 10.5433/1679-0359
E-mail: semina.agrarias@uel.br
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional