Desenvolvimento de método artesanal de curtimento da pele da pescada amarela (Cynoscion acoupa), e sua difusão por meio de oficina a uma comunidade no município de Bragança, PA, Brasil

Bruno José Corecha Fernandes Eiras, Elias Fernandes Medeiros Júnior, Marileide Moraes Alves

Abstract


Bragança é um dos maiores polos pesqueiros do estado do Pará, norte do Brasil. No município há problemas de ordem sócio-ambiental e econômica como: falta de gerenciamento dos resíduos, contaminação dos mananciais que abastecem a cidade e do estuário do rio Caeté. Os problemas sociais e econômicos são ocasionados principalmente pela desigualdade social, que ocorre geralmente nas comunidades onde a população sobrevive principalmente da pesca. Dentre os rejeitos descartados na região podem-se citar os resíduos do pescado. A pele do peixe corresponde a uma parte significativa desses resíduos e pode ser destinada ao curtimento, para obtenção de couro, gerando renda para comunidade e reduzindo impactos ambientais. Dentre os peixes com potencial para o curtimento, pode-se citar a pescada amarela (Cynoscion acoupa) pelo grande porte a alto rendimento em pele. O objetivo deste estudo foi desenvolver uma metodologia de curtimento artesanal da pele da pescada amarela e sua posterior transferência a uma comunidade pesqueira, sob forma de oficina. A metodologia desenvolvida em laboratório é mais simplificada que as tradicionais e foi baseada em métodos de curtimento citados na literatura e técnicas aplicadas em curtumes regionais. Para avaliar a qualidade do couro da pescada amarela, foram feitos testes de resistência, que comprovaram seu potencial para confecção em vestuários e calçados. Em uma análise econômica da produção hipotética de couro com a metodologia de curtimento desenvolvida neste trabalho constatou-se que o empreendimento é viável, além dos efluentes gerados durante o processo ser menos agressivos ao ambiente, comparado com os resíduos gerados pela metodologia tradicional de curtimento.


Keywords


Couro de peixe; Tanino; Resíduo de pescado; Teste de resistência; Análise econômica.



DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-0359.2015v36n2p1123

Semina: Ciênc. Agrár.
Londrina - PR
E-ISSN 1679-0359
DOI: 10.5433/1679-0359
E-mail: semina.agrarias@uel.br
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional