Pitiose em equinos: Relato de 28 casos no estado de São Paulo, Brasil

Marcos Jun Watanabe, Juliana de Moura Alonso, Ana Liz Garcia Alves, Ana Lúcia Miluzzi Yamada, Sandra de Moraes Gimenes Bosco, Celso Antônio Rodrigues, Carlos Alberto Hussni

Abstract


A pitiose é uma doença granulomatosa do tecido cutâneo e subcutâneo causado pelo oomiceto Pythium insidiosum, microorganismo pertencente ao reino Stramenopila, classe Oomycetes. O agente é comumente encontrado em ambientes aquáticos, principalmente nas áreas tropicais do mundo. Foram atendidos 28 casos no Serviço de Clínica Cirúrgica de Grandes Animais da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, UNESP, Botucatu, São Paulo, Brasil. Dentre os 28 animais, 13 apresentaram lesões distais de membro, sendo quatro imediatamente submetidos à eutanásia e sete morreram devido à perda progressiva de condição corporal levando a caquexia. Os equinos apresentaram uma ou mais lesões, distribuídas da seguinte forma: membros (13 distais e quatro proximais), região abdominal (7), região torácica (1), região peitoral (1), região lombar (1), região nasal (1), prepúcio (1). O diagnóstico foi baseado na associação dos achados macroscópicos, histopatológicos, isolamento do patógeno e/ou nested-PCR. Os tratamentos incluíram: remoção cirúrgica (16), iodeto de potássio 67 mg kg-1 VO Sid (23), perfusão regional com 50 mg de anfotericina B (6) e imunoterapia (8). A pitiose é uma doença de rápido desenvolvimento, sendo imprescindível o diagnóstico rápido com especial atenção às lesões localizadas na região distal do membro.


Keywords


Cirurgia; Eqüinos; Feridas; Granuloma; Pythium insidiosum; Pitiose.

Full Text:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-0359.2015v36n2p909

Semina: Ciênc. Agrár.
Londrina - PR
E-ISSN 1679-0359
DOI: 10.5433/1679-0359
E-mail: semina.agrarias@uel.br
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional