Crescimento de Nicandra physalodes em resposta à adubação com N, P e K

Christiano da Conceição de Matos, Cícero Teixeira da Silva, Priscila Torres Cunha, Elizzandra Marta Martins Gandini, Daniel Valadão Silva, Edimilson Alves Barbosa, José Barbosa dos Santos, Evander Alves Ferreira

Abstract


A Nicandra physalodes (L.) Gaertn. é uma planta daninha que infesta com frequência áreas agrícolas brasileiras. O conhecimento do comportamento das plantas frente aos fatores de competição, como a disponibilidade de nutrientes no solo, é fundamental para direcionar o manejo dos agroecossistemas. Nesse contexto, objetivou-se avaliar o efeito de doses de N, P e K no crescimento de N. physalodes. O experimento foi conduzido em casa de vegetação, em delineamento de blocos casualizados arranjado em parcelas subdivididas, com três repetições. Nas parcelas foram aplicadas as doses de N, P e K: 0, 0,3 e 17,2 (D1); 30, 450,3 e 75,4 (D2); 60, 900,3 e 133,4 (D3); 120, 1800,3 e 249,68 mg dm-3 (D4) e nas subparcelas as épocas de colheita (26, 33, 40, 47, 54, 61, 76, 91, 106 e 121 dias após emergência (DAE)). Avaliou-se a matéria seca, área foliar, distribuição da matéria seca, taxa de crescimento relativo, altura e a eficiência fotoquímica do fotossistema II das plantas de N. physalodes. De maneira geral, as folhas apresentaram maior participação no acúmulo de matéria seca total até os 61 DAE; posteriormente, órgãos reprodutivos apresentaram maior participação. O aumento das doses de N, P e K proporcionou maior altura e produção de matéria seca da planta daninha, sendo que quando se dobrou as doses dos nutrientes aplicados observou-se aumento proporcional em acúmulo da matéria seca. Porém, ao ser cultivada nas condições de fertilidade natural do solo (tratamento D1), N. physalodes apresentou baixas taxas de crescimento. Conclui-se que o aumento das doses de N, P e K promove aumento do crescimento de N. physalodes, no entanto, o padrão de distribuição de biomassa não é alterado pela adubação. Essa espécie adapta-se bem a solos férteis, assim, pode-se considerar que a mesma tem maior potencial competitivo em solos de alta fertilidade.


Keywords


Joá-de-capote; Planta daninha; Nutrição de plantas.



DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-0359.2015v36n3p1307

Semina: Ciênc. Agrár.
Londrina - PR
E-ISSN 1679-0359
DOI: 10.5433/1679-0359
E-mail: semina.agrarias@uel.br
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional