Efeitos da aplicação das células-tronco mesenquimais sobre a locomoção e micção de ratos submetidos à lesão medular

Alexandra Justino da Silva, José Ademar Villanova Junior, Leticia Fracaro, Carmen Lúcia Kuniyoshi Rebelatto, Fabiane Barchiki, Sérgio Adriane Bezerra de Moura, Alejandro Correa Dominguez, Ana Paula Resseti Abud, Rosângela Locatelli-Dittrich, Paulo Roberto Slud Brofman, Juliany Gomes Quitzan

Abstract


A terapia celular tem sido reportada como possibilidade de tratamento para os traumas medulares, frequentes em pessoas e em animais, e que não apresentam cura farmacológica para danos advindos da lesão primária. Foram avaliados os efeitos da aplicação de células-tronco derivadas do tecido adiposo humano (hADSC) em ratos Wistar após lesão medular. As hADSC foram cultivadas, utilizadas entre a terceira e quinta passagens e parte delas foi transduzida para o rastreamento in vivo após o transplante. A lesão medular foi realizada com cateter de Fogarty nº. 3, introduzido no espaço epidural, com cuff localizado em T8 e preenchido com 80 ?L de solução salina, por 5 minutos. Os animais do grupo controle (A, n=12) receberam aplicações de meio de cultura (50 ?L) e o grupo B (n=12) recebeu duas aplicações de hADSC (1,2 x 106), sete e 14 dias pós-lesão, ambas na veia da cauda. O esvaziamento vesical, por massagem, foi efetuado diariamente, durante três meses. As avaliações motoras foram repetidas, diariamente, até três meses pós-lesão, utilizando a escala Basso-Beattie-Bresneham. Após este período os animais foram submetidos à eutanásia e foram realizadas análises histológicas de bexiga urinária e medula espinhal. As análises de bioluminescência revelaram hADSC no local da aplicação e nos pulmões. Houve melhora da função da bexiga urinária em 83,3% dos animais do grupo B e 16,66% dos animais do grupo A. A análise das avaliações motoras e histológicas das medulas espinhais e bexigas urinárias não demonstrou diferenças significativas entre os grupos A e B. Os resultados indicam que as hADSC transplantadas influenciaram a micção, de forma benéfica, por um mecanismo de ação à distância, telécrino.


Keywords


Lesão medular; Paraplegia; Incontinência urinária; Terapia celular; Bioluminescência.



DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-0359.2014v35n6p3205

Semina: Ciênc. Agrár.
Londrina - PR
E-ISSN 1679-0359
DOI: 10.5433/1679-0359
E-mail: semina.agrarias@uel.br
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional