Glicerina semipurificada na alimentação de codornas de corte

Tiago Junior Pasquetti, Antonio Claudio Furlan, Ana Paula Silva Ton, Elias Nunes Martins, Vittor Zancanela, Daiane de Oliveira Grieser, Eliany Batista, Paulo Cesar Pozza

Abstract


Três experimentos foram conduzidos para determinar o valor nutritivo da glicerina semipurificada (GS) e verificar seu efeito sobre o desempenho, composição química corporal, características de carcaça e a viabilidade econômica de sua utilização em dietas para codornas de corte. No Experimento 1 foram utilizadas 75 codornas, com 22 dias de idade, alojadas em gaiolas de metabolismo, distribuídas em um delineamento inteiramente casualizado (DIC), com 3 tratamentos e 5 repetições, com 5 aves por repetição. Os tratamentos consistiram de uma ração referência (RR) e duas rações teste (RT), sendo que a GS substituiu a RR em níveis de 8 e 12%. O valor estimado de EMAn para a GS foi de 2.476 kcal/kg de matéria natural. No Experimento 2 foram utilizadas 1.320 codornas de corte (55 aves em cada boxe), distribuídas em DIC, com seis tratamentos e quatro repetições. Os tratamentos foram constituídos por seis rações com níveis crescentes (0, 3, 6, 9, 12 e 15%) de GS. Não foram observados efeitos da GS sobre as variáveis de desempenho. O custo por quilograma de peso vivo produzido aumentou linearmente (P<0,05) com a inclusão dos níveis de GS. Considerando os dados de desempenho, conclui-se que a GS pode ser incluída até o nível de 15%, na fase de 1 a 14 dias. No Experimento 3 foram utilizadas 1.032 codornas (43 aves em cada boxe), distribuídas sob as mesmas condições do Experimento 2. A glicerina semipurificada influenciou de forma linear (P<0,05) a umidade da cama e a biomassa corporal acumulada (BCA), e, de forma quadrática a conversão alimentar e a BCA (P<0,05). O custo por quilograma de peso vivo produzido aumentou linearmente (P<0,05) com a inclusão dos níveis de GS. Considerando os dados de desempenho, a GS pode ser incluída até o nível de 10%, na fase de 15 a 35 dias.

 


Keywords


Coturnix coturnix sp.; Desempenho; Energia metabolizável; Rendimento de carcaça; Viabilidade econômica.



DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-0359.2014v35n6p3377

Semina: Ciênc. Agrár.
Londrina - PR
E-ISSN 1679-0359
DOI: 10.5433/1679-0359
E-mail: semina.agrarias@uel.br
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional