Características quantitativas de cordeiros alimentados com cana-deaçúcar hidrolisada em condições aeróbica e anaeróbica

Viviane Endo, Américo Garcia da Silva Sobrinho, Natália Ludmila Lins Lima, Fabiana Alves de Almeida, Nivea Maria Brancacci Lopes Zeola

Abstract


Este estudo teve como objetivo avaliar a influência das condições aeróbicas e anaeróbicas da cana-deaçúcar hidrolisada sobre as medidas morfológicas in vivo, características quantitativas da carcaça, e os não-componentes da carcaça de cordeiros. Foram utilizados 24 cordeiros Ile de France dos 15 aos 32 kg de peso corporal (PC). Os tratamentos foram: cana-de-açúcar in natura (IN), cana-de-açúcar hidrolisada com 0,6% de óxido de cálcio (CaO) em condição aeróbica (AER), e cana-de-açúcar hidrolisada com 0,6% de CaO em condição anaeróbica (ANA). Os tratamentos foram suplementados com concentrado. Antes do abate, os cordeiros foram pesados e foram obtidas as medidas morfológicas. Após o abate, as carcaças foram pesadas e avaliadas para rendimento, não-componentes, assim como suas medidas morfológicas e perda de peso por resfriamento. Foi utilizado o delineamento inteiramente casualizado com três tratamentos e oito repetições. As médias foram comparadas pelo teste de Tukey a 5% de significância. Cordeiros alimentados com cana-de-açúcar hidrolisada em condição aeróbica, que tiveram maior comprimento de perna (32.21 cm) e menor altura de garupa (55.23 cm) in vivo, Enquanto que o peso corporal vazio (24.84 kg) foi inferior para cordeiros alimentados com cana-deaçúcar in natura. Não foi observada diferença para as demais variáveis. A cana-de-açúcar hidrolisada em condições aeróbica e anaeróbica não é um fator importante em afetar as características in vivo, nem as medidas da carcaça de cordeiros. A escolha entre o fornecimento da cana-de-açúcar in natura ou hidrolisada dependerá de uma análise econômica.

 


Keywords


Hidrólise; Morfologia; Rendimento; Saccharum officinarum.

Full Text:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-0359.2015v36n2p1055

Semina: Ciênc. Agrár.
Londrina - PR
E-ISSN 1679-0359
DOI: 10.5433/1679-0359
E-mail: semina.agrarias@uel.br
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional