Composição bromatológica e digestibilidade in vitro da cana-deaçúcar in natura hidrolisada com óxido de cálcio (CaO)

Felipe Nogueira Domingues, Mauro Dal Secco de Oliveira, Diego Azevedo Mota, Juliana dos Santos, Augusto Sousa Miranda, Raimundo Parente de Oliveira

Abstract


Objetivou-se avaliar a composição bromatológica e a digestibilidade in vitro da cana-de-açúcar hidrolisada com doses crescentes de óxido de cálcio e diferentes tempos de exposição ao ar. Utilizouse o delineamento inteiramente casualizado, em esquema de parcelas subdivididas, sendo as doses alocadas nas parcelas e os tempos de exposição ao ar nas subparcelas, com quatro repetições. Os dados foram submetidos à análise de variância e desdobrados quanto ao efeito de tratamento nos componentes de regressões polinomiais, e avaliados a 5% de probabilidade. A elevação das doses influenciou negativamente os teores de FDN, FDA, LIG, CT, CEL, PB e EE, e positivamente nos teores de CNF e MM. A utilização do aditivo melhorou os coeficientes de DIVMS e foi capaz de manter até 72 horas. Houve decréscimo nos coeficientes de DIVFDN e DIVFDA com a adição de óxido de cálcio. O óxido de cálcio tem capacidade de hidrolisar a fração fibrosa como também conservar a cana-de-açúcar já picada. As doses 0,5 e 1,0% de cal, apresentaram resultados semelhantes às doses superiores, não havendo necessidade de utilização de doses mais elevadas na hidrolise da cana-de-açúcar. Com o decorrer do tempo ocorre deterioração da cana-de-açúcar, porém esta é menor quando tratada com óxido de cálcio.


Keywords


Agente hidrolizante; Análise de alimento; Hidrólise; Saccharum officinarum; Tratamento alcalino.

Full Text:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-0359.2015v36n2p1043

Semina: Ciênc. Agrár.
Londrina - PR
E-ISSN 1679-0359
DOI: 10.5433/1679-0359
E-mail: semina.agrarias@uel.br
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional