Febre catarral maligna induzida por herpesvírus ovino tipo 2 em uma novilha

Selwyn Arlington Headley, Júlio Augusto Naylor Lisbôa, Juliana Torres Tomazi Fritzen, Gustavo Rodrigues Queiroz, Alice Fernandes Alfieri, Rodrigo Azambuja Machado de Oliveira, Ana Paula Frederico Rodrigues Loureiro Bracarense, Karina Keller Marques Costa Flaiban, Amauri Alcindo Alfieri

Abstract


Os achados clínicos, patológicos e moleculares associadas às lesões da febre catarral maligna induzidas por herpesvírus ovino 2 (OvHV-2) são descritos em uma novilha, 12 meses de idade, raça mista, da Região Norte do Estado Paraná, Brasil. O animal demonstrou comportamento agressivo, nistagmo, incoordenação motora, decúbito, movimentos de pedalagem e morte dentro de 48 horas, após a qual foi submetido à necropsia de rotina. Fragmentos do cérebro foram utilizados em ensaios de PCR para a identificação de agentes infecciosos (OvHV-2; herpesvírusbovino-1 e -5 e Histophilus somni). A raiva foi descartada por exame realizado em laboratório oficial de diagnóstico do estado. Alterações patológicas significativas incluíram vasculite disseminada com infiltrado inflamatório linfoplasmocitário no cérebro, rins, fígado e miocárdio. A PCR amplificou o amplicon específico do gene da proteína do tegumento do OvHV-2 a partir de amostras do cérebro; todas as outras avaliações foram negativas. Estes resultados confirmam a participação de OvHV-2 na etiopatogenia da doença observada nesta novilha.


Keywords


Doença bovina; Neuropatologia; Histopatologia; Biologia molecular.

Full Text:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-0359.2013v34n6Supl2p3903

Semina: Ciênc. Agrár.
Londrina - PR
E-ISSN 1679-0359
DOI: 10.5433/1679-0359
E-mail: semina.agrarias@uel.br
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional