Farelo de gérmen de milho desengordurado como ingrediente na dieta de suínos e fonte de antioxidante endógeno na carne

Mara Regina Ribeiro da Costa, Caio Abércio da Silva, Ana Maria Bridi, Mauro Sérigo Ywazaki, Piero da Silva Agostini, Danyel Bueno Dalto, Roberta Abrami Monteiro da Silva

Abstract


O experimento avaliou os efeitos de diferentes períodos de inclusão do farelo de gérmen de milho desengordurado (FGMD), como ingrediente e fonte de ácido fítico em rações de suínos em fase de terminação, sobre o desempenho, características de carcaça e qualidade da carne. Foram utilizados 24 suínos machos de mesma genética comercial com peso médio inicial de 75,41 ± 4,41 kg e idade média de 123 dias. Os tratamentos corresponderam a inclusão de 50% de FGMD na ração nos períodos de 0, 7, 14 e 21 dias antes ao abate. Foram avaliados o desempenho zootécnico, as características de carcaça e de qualidade da carne e o efeito antioxidante do ácido fítico, através da análise de oxidação lipídica na carne. O delineamento experimental utilizado foi em blocos (peso inicial dos animais) ao acaso, com 4 tratamentos e 6 repetições por tratamento. Não houve efeito (P>0,05) do tempo de inclusão do FGMD na dieta no desempenho zootécnico e nas características de carcaça. Na qualidade de carne houve efeito linear decrescente (P?0.05) na oxidação lipídica da carne mantida em refrigeração durante 7 dias. A carne refrigerada apresentou menor oxidação com o aumentou do período de inclusão de FGMD nas rações.

 


Keywords


Ácido fítico; Alimento alternativo; Fitase; Oxidação lipídica.



DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-0359.2012v33n6Supl2p3347

Semina: Ciênc. Agrár.
Londrina - PR
E-ISSN 1679-0359
DOI: 10.5433/1679-0359
E-mail: semina.agrarias@uel.br
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional