Imunogenicidade de vacina com proteínas de esporozoítos e oocistos vivos de Eimeria tenella em frangos

Alexey Leon Gomel Bogado, João Luis Garcia, Selwyn Arlington Headley, Odilon Vidotto, José da Silva Guimarães Junior

Abstract


O objetivo do presente estudo foi avaliar a imunidade de frangos de corte inoculados com oocistos esporulados e proteínas de esporozoítos de Eimeria tenella utilizando um desafio com oocistos esporulados homólogos. Frangos de corte da linhagem Hubbard, fêmeas, livres de coccidiose, foram mantidos em gaiolas de arame e inoculados no terceiro dia (dia 0). O delineamento experimental consistiu de cinco tratamentos com três repetições: T1- controle negativo; T2- recebeu 500 oocistos esporulados por gavagem; T3- controle positivo; T4- receberam 50 ?g de proteína de esporozoítos adicionados a Quil-A, e finalmente o T5- que recebeu apenas Quil A e PBS, os últimos dois protocolos foram administrados pela via nasal nos dias 0, 7 e 21. No dia 31, todos os grupos, com exceção do T1, foram desafiados com uma cepa homóloga virulenta de E. tenella na dose de 8,0 × 104 oocistos esporulados. A imunogenicidade foi avaliada por níveis de carotenóides, ELISA, análise histopatológica, contagem de oocistos e índice de lesões. Com base nos parâmetros avaliados, a vacina de oocistos infectante (T2) mostrou uma proteção total e a vacina de proteína de esporozoítos (T4) uma protecção parcial contra o desafio homólogo com cepa virulenta.


Keywords


Frangos; Eimeria tenella; Oocistos infectantes; Proteína de esporozoíto; Imunogenicidade.



DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-0359.2012v33n6Supl2p3233

Semina: Ciênc. Agrár.
Londrina - PR
E-ISSN 1679-0359
DOI: 10.5433/1679-0359
E-mail: semina.agrarias@uel.br
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional