Oxidação de metano em solo a longo prazo sob plantio direto no Sul do Brasil

Cimélio Bayer, Juliana Gomes, Frederico Costa Beber Vieira, Josiléia Accordi Zanatta, Marisa de Cássia Piccolo, Jeferson Dieckow

Abstract


Sistemas conservacionistas de manejo de solo são considerados usualmente uma alternativa para restaurar a capacidade de solos agrícolas degradados em oxidar metano (CH4), mas escassa informação é disponível para solos tropicais e subtropicais. O objetivo do presente estudo foi avaliar o efeito de longo prazo (19 anos) do plantio direto (PD) nos fluxos de CH4 em um Argissolo Vermelho (Classificação Brasileira) degradado da região Sul do Brasil, em comparação ao preparo convencional (PC). Fluxos anuais de CH4 do solo foram avaliados nos sistemas PD e PC sob dois sistemas de cultura (aveia/ milho- A/M e ervilhaca/milho-E/M). Amostragem do ar foi conduzida utilizando o método da câmara estática fechada e as análises de CH4 foram realizadas por cromatografia gasosa. Dados históricos do experimento evidenciaram melhoria expressiva da qualidade do solo em PD, especialmente quando associado ao sistema de cultura com leguminosas de cobertura de solo (E/M) que apresentou a mais elevada adição anual de biomassa ao solo. Os fluxos de CH4 variaram de ?42±2 a 38±16 ?g C m-2 h-1 e as emissões anuais de CH4 variaram de ?825±117 (PC E/M) a 453±185 g C ha-1 (PD A/M). Portanto, a capacidade de oxidação de CH4 não teve relação com a qualidade do solo nos distintos sistemas de manejo. Baseado nos resultados do presente estudo e da literatura, nos hipotetizamos que as zonas de oxidação de CH4 e de melhoria da qualidade do solo ocorrem em posições distintas no perfil do solo sob sistemas conservacionistas de manejo, determinando que a recuperação da capacidade do solo em oxidar CH4 seja bastante lenta.


Keywords


Aquecimento global; Preparos de solo; Solos tropicais; Sistemas de cultura.



DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-0359.2013v34n4p1695

Semina: Ciênc. Agrár.
Londrina - PR
E-ISSN 1679-0359
DOI: 10.5433/1679-0359
E-mail: semina.agrarias@uel.br
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional