Correlação entre consumo e comportamento ingestivo de novilhas suplementadas a pasto

Hermógenes Almeida Santana Junior, Robério Rodrigues Silva, Gleidson Giordano Pinto Carvalho, Fabiano Ferreira Silva, Geraldo Trindade Junior, Alyson Andrade Pinheiro, Eli Santana Oliveira Rodrigues, George Abreu Filho, Elizangela Oliveira Cardoso Santana, Fabricio Bacelar Lima Mendes

Abstract


Objetivou-se com este estudo, avaliar a correlação entre o consumo e comportamento ingestivo de novilhas mestiças em pastagem tropical. O experimento foi conduzido na Fazenda Princesa do Mateiro, na cidade de Ribeirão do Largo, Bahia. Foram utilizadas 20 bezerras com a composição genética de 5/8 de Guzerá Leiteiro e 3/8 de Holandês, idade média de 18 meses e peso corporal de 187 ± 13,1 kg. O experimento durou 224 dias e os animais mantidos em sistema de pastejo rotacionado com Brachiaria brizantha cv. Marandú. O tempo de pastejo não correlacionou com nenhuma das variáveis associadas com a ingestão. O tempo de ruminação mostrou correlações positivas com a ingestão de matéria seca da forragem (CMSF) e fibra em detergente neutro (CFDN). Variáveis associadas ao tempo gasto em alimentação no cocho, alimentação em geral e mastigação total, não foram correlacionados com a ingestão (P>0,05). Houve correlação positiva entre o número de períodos de pastejo (NPP) e os períodos de ruminação (NPR) e consumo de MS total (CMST), matéria orgânica (CMO), forragem ( CMSF), fibra em detergente neutro (CFDN), carboidratos totais (CCHOT), extrato etéreo (CEE). O consumo de proteína bruta (CPB) foi positivamente correlacionado com NPP e NPR. A taxa de bocado foi positivamente correlacionada com CMST, CMO, CMSF, CFDN, CCHOT, CEE e CPB. O tempo médio por bolo ruminado foi negativamente correlacionada com CMST, CMO, CFDN, CHOT e CEE. Correlações positivas foram observadas entre o número de bocados por dia e CMST, CMO, CMSF, CFDN, CHOT e CEE. O número de mastigações por bolo mostraram correlações negativas com CMSS e CPB. O tempo por bolo ruminado foi negativamente correlacionada com a ingestão de proteína bruta. O número de mastigações por bolo mostrou correlações positivas com os consumos de matéria seca e fibra em detergente neutro. O número de bolos por dia mostraram correlações positivas com CMSF e CCHOT. O tempo de mastigação não mostrou correlação significativa com o consumo. Em conflito com a literatura nacional e internacional, o tempo de pastejo não foi correlacionada com a ingestão por novilhas mestiças em pastejo. O número de atividades, o tempo gasto e a taxa de bocado, tem demostrado ser altamente correlacionados com as variáveis de consumo e pode, por conseguinte, compor equações para predizer o consumo a partir da avaliação do comportamento ingestivo. O número de bocados realizados por dia contribui para a ingestão de novilhas em pastagem.

 


Keywords


Bovino; Alimentação; Ingestão; Ruminação.



DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-0359.2013v34n6p2963

Semina: Ciênc. Agrár.
Londrina - PR
E-ISSN 1679-0359
DOI: 10.5433/1679-0359
E-mail: semina.agrarias@uel.br
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional