Efeito de sistemas de refrigeração sobre a viabilidade do sêmen bovino congelado analisado por meio de sistema computadorizado e sondas fluorescentes

Marcelo George Mungai Chacur, Huberson Sanches Dias, Patricia de Mello Papa, Frederico Ozanam Papa, Cely Marini Melo-Onã

Abstract


O sucesso da criopreservação do sêmen depende da manutenção do potencial de fertilidade dos espermatozoides. Nos espermatozoides deve haver a preservação da integridade e funcionalidade de várias das suas estruturas. A fase de estabilização permite a saída de água dos espermatozoides por osmose. Este estudo tem o objetivo de comparar o efeito da refrigeração em refrigerador comercial (RC) e em caixa de transporte refrigerada (CTR) na viabilidade do sêmen congelado bovino diluído em três diferentes meios (A, B e C). Dez touros Nelore, Bos taurus indicus mantidos em central de inseminação artificial foram utilizados e as amostras de sêmen analisadas para checar a integridade das membranas plasmáticas e por meio da análise computadorizada (CASA). A fase de estabilização (5°C/4 horas) foi realizada em RC e em CTR, sendo as amostras expostas ao vapor de nitrogênio durante 20 minutos e após mergulhadas no nitrogênio. A estatística foi feita com a análise de variância com nível de significância a 5%. No RC os parâmetros pós-descongelação para PM e ALH foram superiores (p < 0,05) no meio B em relação ao C. Amostras que foram estabilizadas na CTR apresentaram parâmetros superiores (p < 0,05) para PM e LIN nos meios A e B, em relação ao C. Os parâmetros BCF e STR foram superiores (p < 0,05) no meio B em relação ao C. As amostras do meio B tiveram maior (p < 0,05) PMI quando estabilizadas no RC. No presente estudo, conclui-se que o RC e a CTR foram efetivos na manutenção da viabilidade pós-descongelação do sêmen bovino.

 


Keywords


Touros zebu; Sêmen refrigerado; Sêmen congelado; CASA; Integridade de membrana.



DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-0359.2012v33n5p1923

Semina: Ciênc. Agrár.
Londrina - PR
E-ISSN 1679-0359
DOI: 10.5433/1679-0359
E-mail: semina.agrarias@uel.br
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional