Dessecação em pré-colheita com glifosato e qualidade de sementes armazenadas de soja

Mariana Zampar Toledo, Mariane Sayuri Ishizuka, Cláudio Cavariani, José de Barros França-Neto, Laís Bilia Picoli

Abstract


Sementes de cultivares convencionais de soja colhidas após dessecação química das plantas com glifosato podem produzir plântulas anormais, com sintomas de fitotoxicidade que podem persistir mesmo após o armazenamento devido ao acúmulo de resíduos tóxicos. Este trabalho objetivou avaliar a qualidade de sementes armazenadas de soja colhidas após dessecação química das plantas com glifosato no estádio R7. Sementes de soja da cultivar Conquista foram produzidas com e sem dessecação das plantas com glifosato, na dose de 2,0 L ha-1, no estádio de maturidade fisiológica. A qualidade das sementes foi avaliada logo após a colheita e aos oito meses de armazenamento quanto ao teor de água, massa, germinação e vigor. O delineamento experimental foi o inteiramente casualizado, com quatro repetições. Os dados foram submetidos à análise de variância e as médias comparadas pelo teste de Tukey (p?0,05), em esquema fatorial 2 x 2. Os resultados mostram efeitos deletérios da aplicação de glifosato utilizado como dessecante para antecipação da colheita de sementes de soja de cultivares convencionais. A aceleração da senescência das plantas resulta na produção de sementes com menor germinação e reduzido desenvolvimento de plântulas, apesar de a porcentagem de plântulas anormais ser reduzida após 8 meses de armazenamento, possivelmente devido à degradação dos resíduos tóxicos de glifosate e/ou seus derivados.


Keywords


Glycine max; Fitotoxicidade; Maturidade fisiológica; Germinação; Desenvolvimento de plântulas.

Full Text:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-0359.2014v35n2p765

Semina: Ciênc. Agrár.
Londrina - PR
E-ISSN 1679-0359
DOI: 10.5433/1679-0359
E-mail: semina.agrarias@uel.br
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional