Seleção de espécies tolerantes ao herbicida sulfentrazone com potencial para a fitorremediação de solos contaminados

João Carlos Madalão, Fábio Ribeiro Pires, Alberto Cargnelutti Filho, Alex Favaro Nascimento, Kristhiano Chagas, Sergio Oliveira Procópio, Rodrigo Silva Araújo, Robson Bonomo, Gisela Azevedo Taufner

Abstract


Este trabalho teve como objetivo selecionar espécies com potencial para a fitorremediação de solos contaminados com o herbicida sulfentrazone. Foram avaliadas oito espécies: Arachis pintoi, Eleusine coracana, Crotalaria spectabilis, Crotalaria ochroleuca, Cajanus cajan, Leucaena leucocephala, Stizolobium cinereum e Raphanus sativus. O experimento foi instalado em casa de vegetação, com a utilização de vasos com capacidade para 6 dm3 preenchidos com porções de solo coletadas na profundidade de 0-20 cm. O delineamento experimental foi o de blocos casualizados em esquema fatorial 8 × 5, com quatro repetições, composto pela combinação entre as espécies e cinco doses do sulfentrazone (0, 200, 400, 800 e 1.600 g ha-1). Foram avaliadas a fitotoxicidade do herbicida, a altura de plantas e a massa da matéria seca da parte aérea e de raízes. As espécies Cajanus cajan e Leucaena leucocephala apresentaram maior tolerância ao sulfentrazone até a dose de 400 g ha-1, mostrando menores sintomas de fitotoxicidade e menores reduções na altura de plantas e no acúmulo de matéria seca, tanto na parte aérea como nas raízes, em relação ao tratamento controle, indicando, com isso, potencial de utilização para posteriores estudos de fitorremediação de sulfentrazone em solo.


Keywords


Descontaminação do solo; Efeito residual; Adubos verdes; Seletividade.



DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-0359.2012v33n6p2199

Semina: Ciênc. Agrár.
Londrina - PR
E-ISSN 1679-0359
DOI: 10.5433/1679-0359
E-mail: semina.agrarias@uel.br
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional