A atuação dos agentes da comissão pastoral da terra para impulsionar políticas públicas de combate à redução do trabalhador rural à condição análoga à de escravo

Luiz Augusto Silva Ventura do Nascimento

Resumo


A exploração do trabalho análogo ao de escravo é um problema social caracterizado como crime pela violação de direitos dos trabalhadores. O objetivo desta pesquisa é investigar as práticas sociais realizadas no cenário sociopolítico pelos agentes da Comissão Pastoral da Terra (CPT) com as quais eles pretenderam mudar a realidade de violação dos direitos dos trabalhadores, fazendo com que o Estado reconhecesse o problema e, juntamente com eles, formulasse políticas públicas direcionadas à prevenção e erradicação do trabalho análogo ao de escravo. O objeto central da investigação sociológica proposta são as atitudes, as ações, as reações, os procedimentos e as práticas sociais desenvolvidas pelos agentes sociais da CPT para incitar o governo federal a formular políticas públicas de supressão do trabalho análogo ao de escravo. O fundamento teórico está na teoria da agência. Trata-se de uma pesquisa documental qualitativa, em que os documentos são analisados em profundidade pela perspectiva hermenêutica.


Palavras-chave


Comissão Pastoral da Terra; Trabalho rural em condição análoga à de escravo; Prática social; Espaço público; Mudança social.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2318-9223.2018v6n1p98

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ESTÁ COM FLUXO CONTÍNUO DE CHAMADA DE TRABALHOS: O(S) AUTOR(ES) PODE(M) SUBMETER SEU(S) ESTUDO(S) A QUALQUER TEMPO.

ISSN: 2318-9223


QUALIS-CAPES: B5 - ADMINISTRAÇÃO, CONTÁBEIS E TURISMO

Indicadores e diretórios: