Análise da pressão inspiratória com alto e baixo fluxos em resistor alinear

Kelser de Souza Kock, Jaqueline Costa Calônico, Ângela Rochade Luiz, Yago Alves Arent, Itamar Fernandes

Resumo


Introdução: O Treino Muscular Respiratório (TMR) pode ser realizado com resistores lineares e alineares para incremento da força respiratória ou através de hiperpneia para ganho de endurance ventilatória. O objetivo deste trabalho foi avaliar os níveis de pressão inspiratória nos diferentes orifícios de resistores
alineares, analisando a carga com baixo e alto fluxos inspiratórios. Métodos: Pesquisa quantitativa, transversal, descritiva de levantamento. Foram avaliados acadêmicos do curso de fisioterapia da UNISUL, Campus Tubarão, SC, durante a execução do TMR, acoplando o dispositivo de treino de força ao manovacuômetro para monitoração da pressão inspiratória. Foram analisados os resultados de pressão inspiratória em baixo fluxo e alto fluxo em seis diferentes orifícios, com diâmetros de 2 mm, 3mm, 4mm, 5 mm, 6 mm e 7 mm. Resultados: Foram avaliados 20 indivíduos, sendo 8 homens e 12 mulheres com idade média de 28 ± 9 anos. Os valores médios obtidos de Pressão Inspiratória máxima (PImáx) e Pressão expiratória máxima (PEmáx) foram, respectivamente, de 92 ± 27cmH2O e 100 ± 48 cmH2O. As medidas de pressão inspiratória, durante a execução do TMR, com baixo e alto fluxos, apresentaram diferença estatística (p<0,05) em todos os resistores. Conclusão: Os resultados obtidos demonstram grande variabilidade da pressão inspiratória, quando o treino respiratório é executado com baixo e alto fluxos. Talvez esse aspecto tenha reduzido a utilização desta forma de treino muscular no meio clínico da fisioterapia.


Palavras-chave


Exercícios respiratórios; Músculos respiratórios; Terapia respiratória; Trabalho respiratório

Texto completo:

PDF


ASSOBRAFIR Ciência

Email: assobrafirciencia@uel.br

EISSN: 2177-9333