Fisioterapia e as complicações pulmonares no pós-operatório de esofagectomia: uma revisão integrativa da literatura

Lidiane de Freitas Sarmento, Vívian Pinto

Resumo


Objetivo: Identificar fatores que influenciam no desenvolvimento das principais complicações pulmonares no pós-operatório de esofagectomias e as condutas fisioterápicas na prevenção e tratamento das mesmas. Métodos: Revisão integrativa realizada através de busca bibliográfica nas bases de dados PubMed, Biblioteca Virtual em Saúde, Cochrane e Scielo, nos últimos 10 anos, nos idiomas português e inglês, incluindo artigos que abordassem a fisioterapia no pré e pós-operatório de esofagectomias, principais complicações pulmonares e fatores de risco. Resultados: Pneumonia, atelectasia, derrame pleural, SARA e quilotórax foram as complicações identificadas e os fatores influenciadores foram nível de atividade física, administração de corticoides, perda sanguínea intra-operatória, idade, duração da cirurgia, localização do tumor, VEF1< 65% do predito, DPOC e fisioterapia respiratória. A realização da fisioterapia no pré e pós-operatório mostrou redução na incidência de complicações, melhora na função pulmonar, tempo de antibioticoterapia, permanência de dreno torácico e taxa de reintubação (p<0,05). Porém, não houve resultados significativos na redução do tempo de hospitalização. 


Palavras-chave


fisioterapia; esofagectomia; lesão pulmonar; ventilação não invasiva

Texto completo:

PDF


ASSOBRAFIR Ciência

Email: assobrafirciencia@uel.br

EISSN: 2177-9333