Estratégia de representação em projeto de logotipia: leitura semiótica da marca gráfica Uno/Fiat

Bruno Indalêncio de CAMPOS, Richard PERASSI

Resumo


A marca “Uno”, tradicionalmente, representou, desde 1983, um modelo de automóvel produzido pela montadora “Fiat” que, por sua performance de vendas em diferentes versões e, especialmente, na versão “Mille”, é apontado como um caso de sucesso comercial, na categoria de carros populares de passeio. No ano de 2010, houve o lançamento da nova linha de automóveis, informalmente denominada como “Novo Uno”, cuja publicidade propõe o slogan “Novo Uno. Novo Tudo”. O projeto de Design adotou na configuração do automóvel o conceito “round square”, que é expresso na recorrência de formas retangulares, com ângulos arredondados. A nova linha de produtos é muito diferente da anterior. Porém, houve a opção por manter o nome da marca, com a alteração do seu logotipo, que é o principal objeto de estudo deste artigo. A teoria Semiótica, primeiramente proposta por Charles Peirce, é aqui adotada para a interpretação do processo de representação do logotipo. A ideia defendida neste texto considera que houve uma dupla estratégia de associação do logotipo aos novos automóveis da marca “Uno”. Essa estratégia é baseada em convenção simbólico-arbitrária e, também, em semelhança ou analogia entre as sensações e as significações, que são propostas pela visualidade dos automóveis e pela visualidade do logotipo.

Palavras-chave


Gestão do Design; Marca de Automóvel; Identidade Gráfico-Visual

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2236-2207.2012v3n1p11

Direitos autorais



 

Projética

Londrina/PR - Brasil
ISSN: 2236-2207

projetica@uel.br

 

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional