Quando o apito não tocou: experiência operária e identidade de classe em um bairro operário em declínio (Barreto – Niterói)

Luciana Wollmann

Resumo


O presente trabalho tem como objetivo analisar como se deu o processo de re-significação de identidades sociais – sobretudo a "de classe" por parte dos antigos trabalhadores da Companhia Fluminense de Tecidos, centenária fábrica localizada no bairro do Barreto na cidade de Niterói/RJ, a partir do final da década de 1970, quando a Companhia começa a dar os seus primeiros sinais de crise e o bairro inicia um gradativo processo de esvaziamento industrial. É nosso interesse aqui perceber como a diminuição dos postos de trabalho, combinada à desestruturação do antigo bairro operário e à ausência de melhores oportunidades no presente, contribuíram para um reforço da identidade operária deste grupo de trabalhadores e corroboraram para um exercício de re-elaboração de sua própria trajetória de trabalho dedicado à Companhia.


Palavras-chave


Cia. Fluminense de tecidos; Identidades; Trabalhadores.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2176-6665.2011v16n1p177

Direitos autorais

Mediações - Revista de Ciências Sociais

Londrina - PR

ISSN: 1414-0543

EISSN: 2176-6665

Email: mediacoes@uel.br


Creative Commons License

 

Todos os artigos científicos publicados em mediacoes@uel.br estão licenciados sob uma Licença Creative Commons