Mulher e gênero na visão de empresárias do setor imobiliário de Londrina

Silvana Aparecida Mariano

Resumo


Este artigo pretende discutir quais as imagens que as empresárias do setor imobiliário de Londrina têm sobre os papéis sociais de homens e mulheres na sociedade, a fim de detectar se a posição socioeconôrnica por elas ocupada teria provocado mudanças na forma de entender as relações entre os gêneros estabelecidas no mercado de trabalho e no âmbito de suas vidas pessoais.


Palavras-chave


Divisão sexual do trabalho; Mulher; Cultura; Gênero; Imagens.

Texto completo:

PDF

Referências


ARON, R. Etapas do pensamento sociológico. São Paulo: Martins Fontes, 1989.

A BAMBERGER, J. O mito do matriarcado: por que os homens dominam as princípio, isto poderia ocorrer a partir de possíveis conflitos sociedades primitivas? In: ROSALDO, M. & LAMPHERE, L. (coords.). A mulher, a cultura e a sociedade. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1979.

BLASS. L. M. da S. Gênero e trabalho: trajetórias de uma problemática. In: ADORNO. Sérgio (org.). A sociologia entre a modernidade e a contemporaneidade. Porto Alegre: UFRS. 1997.

BLAY. E. A. Trabalho domesticado: mulher na indústria paulista. São Paulo: Ática, 1978. BOURDIEU, P. Bourdieu contra a dominação masculina. Folha de S. Paulo, 8 novo 1998. c.5, p.7.

CASTRO, M. G. O conceito de gênero e as análises sobre a mulher e trabalho: notas sobre impasses teóricos. Cadernos CRR, Salvador, n.17, p.80¬ 105, 1992.

CHAUÍ, M. Cultura e democracia. 7.ed. São Paulo: Cortez, 1989.

COHN, G. Crítica e resignação. São Paulo: T. A. Queiroz, 1979. HANS, M. F. As mulheres e o dinheiro. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1991.

HIRATA, H. Trabalho e divisão sexual do trabalho. Folha Feminista , São Paulo, n.3, p.I-2, maio 1999.

LOBO, E. S. O trabalho como linguagem: o gênero do trabalho. In: COSTA, A. & BRUSCHINI, C. Uma questão de gênero. São Paulo: São Paulo/ Rio de Janeiro: Fundação Carlos ChagaslRosa dos Tempos, 1992. p.252¬ 265.

MULHER está fora do poder, afmna Onu. Folha de S. Paulo. 10 seI. 1998. c.l, p.8.

NEVES, M. A. Trabalho e cidadania: as trabalhadoras de Contagem. Petrópolis: Vozes, 1994.

OTNER, S. B. Está a mulher para o homem assim como a natureza para a cultura? In:ROSALDO, M. & LAMPHERE, L. (coords.). A mulher, a cultura e a sociedade. Rio de Janeiro: paz e Terra, 1979. p.95-120.

PENA, M. v. J. Mulheres e trabalhadoras: presença feminina na constituição do sistema fabril. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1981.

QUINTERO, M. da C. Contribuição para os estudos das relações de gênero. Plural, São Paulo, n.3, 1° semestre, p.122-134, 1996.

REDE MULHER DE EDUCAÇÃO. Revisando conceitos e mostrando o contexto. In: Relações de gênero no ciclo de projetos. São Paulo, p.1 3¬ 58, 1996.

RODRIGUES, A. M. Lugar e imagem da mulher na indústria. In: COSTA, A. & BRUSCHINI, C. Uma questão de gênero. São PaulolRio de Janeiro: Fundação Carlos ChagasIRosa dos Tempos, 1992. p.266-288.

ROMAN, J. P. Natureza e sociedade. In: LUZ, M. (org.). O lugar da mulher: estudos sobre a condição feminina na sociedade atual. Rio de Janeiro: Graal, 1992.

ROSALDO, M. Z. & LAMPHERE, L. (coords.). A mulher, a cultura e a sociedade. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1979.

ROSALDO, M. Z. A mulher, a cultura e a sociedade: uma revisão teórica. In: ROSALDO, M. Z. & LAMPHERE, L. (coords.). A mulher, a cultura e a sociedade. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1979. p.33-64.

SAFFIOTI, H. r. B. A mulher na sociedade de classes: mito e realidade. Petrópolis: Vozes, 1976.

SAFFIOTI, H. R. B. Rearticulando gênero e classe social. In: COSTA, A. & BRUSCHINI, C. Uma questão de gênero. São PaulolRio de Janeiro: Fundação Carlos ChagasIRosa dos Tempos, 1992. p.183-215.

SAHLINS, M.llhas de história. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1990. SCHOLZ, R. ° valor é o homem: teses sobre a socialização pelo valor e a relação entre os sexos. Novos Estudos - CEBRAP, São Paulo, n.45, p.15¬ 36, 1996.

SCOTT, J. Gênero: uma categoria útil de análise histórica. Educação e Realidade, Porto Alegre, v.16, n.2, p.5-22, 1990.

SILVEIRA, M. L. da. Pistas para a compreensão dos significados do trabalho das mulheres. Mediações, Londrina, v.l, n.2, p.46-55, 1996.

SILVEIRA, M. L. da. Contribuições da perspectiva de gênero para o esboço de alternativas emancipatórias da sociedade. In: BATISTA, D. (org.). Cidadania e subjetividade. São Paulo: Imaginário, 1997.

SORJ, B. O feminismo na encruzilhada da modernidade e pós-modernidade. In: COSTA, A. & BRUSCHINI, C. Uma questão de gênero. São Paulol Rio de Janeiro: Fundação Carlos Chagasl Rosa dos Tempos, 1992. p.15-23.

VILAS BOAS, L. A cultura da obrigação: a mulher e a dupla jornada de trabalho. Londrina, 1997. Monografia (Especialização em Sociologia)¬ Universidade Estadual de Londrina.

WEBER, M. Ensaios de sociologia. Rio de Janeiro: Zahar, 1982. p.211¬ 227.

WEBER, M. Economia e sociedade. Brasília: UnB, 1991. p.3-35. WILLIAMS, R. Cultura. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1992.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2176-6665.1998v3n2p47

Direitos autorais

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

  

         

 

                       

 

 

Mediações - Revista de Ciências Sociais

Londrina - PR

E-ISSN: 2176-6665

Email: mediacoes@uel.br  

Mediações utiliza a licença Creative Commons Attribution 4.0 International