Feminismo e estado: desafiando a democracia liberal

Silvana Aparecida Mariano

Resumo


Este artigo explora a trajetória do movimento feminista no Brasil abordando a mudança quanto à sua concepção de Estado e seus conflitos com a democracia liberal. O foco central de discussão é a contribuição das reivindicações feministas, embora não exclusivas, por colocar em debate as limitações dos regimes democráticos liberais, assentando com isso novos parâmetros para a democracia. Tal reordenamento é discutido a partir das demandas feministas por políticas públicas voltadas para a questão de gênero, em especial as ações afirmativas que visam compensar as desvantagens das mulheres.

Palavras-chave


Feminismo; Gênero; Políticas públicas; Democracia

Texto completo:

PDF

Referências


ALVAREZ. Sonia; DAGNINO, Evelina; ESCOBAR, Artmo. Cultura e política nos movimentos sociais latino-americanos: novas leituras. Belo Horizonte: Ed . UFMG, 2000.

ALVAREZ. Sõnia E. Politizando as relações de gênero e engendrando a democracia. In: STEPAN. Alfred (org.). Democratizando o Brasil. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1988. p. 315-380.

ALVAR EZ. Sõnia E. A "Globalização" dos feminismos latino-americanos: tendências dos anos 90 e desafios para o novo milênio. In: ALVAREZ, Sonia; DAGNINO, Evelina: ESCOBAR. Arturo . Cultura e política nos movimentos sociais latinoamericanos: novas leituras. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2000.

ALVAR EZ. Sõnia E. Translating the global: effects of transnational organizing on local feminist discourses and pratices in Latin America. Paper, 2000b.

ALVAR EZ. Sõnia E. Em que Estado está o feminismo latino-americano? Uma leitura crítica das políticas públicas com "perspectiva de gênero". In: FARIA, Nalu, SILVEIRA. Maria Lúcia; NOBRE, Miriam (org.). Gênero nas políticas públicas: impasses. desafios e perspectivas para a ação feminista. São Paulo: SOF, 2000c. p. 9-25 .(Coleção Cadernos Sempreviva).

BLAY, Eva Alterman. Gênero e políticas públicas ou sociedade civil, gênero e relações de poder. In: SILVA, Alcione Leite da; LAGO. Mara Coelho de Souza; RAMOS. Tânia Regina Oliveira (org.). Fãs de gênero: teorias, análises, leituras, Florianópolis: Editora Mulheres. 1999. p. 133-146.

BUTTAFUOCO, Annarita. Entre cidadania política e cidadania social. Projetos e experiências do movimento político das mulheres na Itália liberal. In: BONACCI, G.; GROPPI. A. (org.). O dilema da cidadania: direitos e deveres das mulheres. São Paulo: Ed. Unesp, 1995. p. 129-158.

COSTA. Claudia de Lima; DINIZ. Alai Garcia. Entrevista: Mary Louise Pratt. Revista Estudos Feministas, Florianópolis, v. 7, n. 1-2, p. 127-140, 1999.

COSTA, Delaine Martins (coord.). Democratização dos poderes municipais e a questão de gênero. Rio de Janeiro: IBAM/Fundação Ford. 1997.

COSTA. Sérgio. Esfera pública, redescoberta da sociedade civil e movimentos sociais no Brasil: uma abordagem tentativa. Novos Estudos CEBRAP. São Paulo, n. 38, p. 38-52, mar. 1994.

COSTA, Sérgio; WERLE. Denilson Luís. Reconhecer as diferenças: liberais, comunitaristas e as relações raciais no Brasil: In: AVRITZE R. Leonardo: DOMINGUES. José Maurício (org.). Teoria social e modernidade no Brasil. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2000.

GODINHO. Tatau. A ação feminista diante do Estado: as mulheres e elaboração de políticas públicas. In : FARIA. Nalu; SILVEIRA. Maria LLíc ia: NOBRE. Miriam (org.). Gênero nas políticas públicas: impasses. de safios e perspectivas para a ação feminista. São Paulo: SOF, 2000c. p. 26-37 . (Coleção Cadernos Sempreviva).

GÓMEZ, José María. Política e democracia em tempos de globalização. Petrópolis: Vozes: Buenos Aires: Clacso, 2000. cap. 2. p. 87-139.

JELIN. Elizabeth. Mulheres e Direitos Humanos. Revista Estudos Feministas. Rio de Janeiro, v. 2, n. 1, p. 117-49, 1994.

MIGUEL, Luís Felipe. Teoria Política Feminista e Liberalismo: o caso das cotas de representação. Revista Brasileira de Ciências Sociais, v. 15, n. 44, p. 91-102, out. 2000.

MOGHADAM, Valentine M. Transnational feminist networks: colletive action in an era of globalization. International Sociology, v.15, n. 1, p. 57-85. mar. 2000.

MURARO, Rose Marie. O que querem as mulheres do século 21. Folha de São Paulo. 29 dez. 2000. c.a, p. 3.

PAOLI. Maria Célia. Movimentos sociais no Brasil: em busca de um estatuto político. In: HELLMANN. Michae la (org.). Movimentos sociais e democracia no Brasil: "sem a gente não tem jeito". São Paulo: Marco Zero, 1995. p. 24-55.

PINTO. Céli Regina Jardim. Mulher e Política no Brasil: os impasses do feminismo. enquanto movimento social. face às regras do jogo da democracia representativa. Revista Estudos Feministas, Rio de Janeiro, número especial. p. 257-270, 1994.

PINTO. Céli Regina Jardim. A democracia desafiada: a presença de direitos multiculturais. In: AVRITZER, Leonardo; DOMINGUES, José Maurício (org.). Teoria social e modernidade no Brasil. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2000.

SANTOS, Boaventura de Souza. Subjetividade, cidadania e emancipação. In: Pela mão de Alice: O social e o político na Pós-Modernidade. São Paulo: Cortez, 1995. p.235-280.

SCHERER WARREN, Ilse. Movimentos em cena.... e as teorias por onde andam? In: SCHERER-WARREN. Ilse; LEIS, Hector, COSTA, Sérgio; et al. Cidadania e Multiculturalismo: a teoria social no Brasil contemporâneo. Lisboa: Socius, 2000. p. 23-51.

SCHUMAHER, Maria Aparecida; VARGAS, Elisabeth. Lugar no governo: álibi ou conquista? Revista Estudos Feministas, Rio de Janeiro, v. 2 n. 3, p. 117-149, 1994.

SORJ, Bila; GOLDENBERG, Mirian. Entrevista: Hilary Wainwright. Revista Estudos Feministas, Florianópolis, v. 8, n. 1, p. 115-126, 2000.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2176-6665.2001v6n2p1

Direitos autorais 2002 Silvana Aparecida Mariano

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

  

         

 

                       

 

 

Mediações - Revista de Ciências Sociais

Londrina - PR

E-ISSN: 2176-6665

Email: mediacoes@uel.br  

Mediações utiliza a licença Creative Commons Attribution 4.0 International