A globalização da indiferença o papel do capital social no resgate da valorização cidadã no Brasil

Marcello Baquero

Resumo


Este artigo examina o impacto do processo de globalização na estruturação de um tipo de cultura política que se caracteriza pela resignação (não adianta fazer nada) e pela hostilidade em relação a política. Enfatiza-se, principalmente, os efeitos econômicos e sociais, em outras palavras, a força do mercado na configuração de relações sociais terciárias, onde o cidadão estabelece uma identificação direta com o governante à margem das instituições políticas. Tal situação, argumentamos, é o resultado da manutenção de práticas políticas tradicionais, tais como: o clientelismo, o personalismo e o patrimonialismo, as quais prosperam numa direção de inércia. Isto ocorre a despeito da institucionalização de procedimentos poliárquicos, o que sinaliza para a importância de refletir e propor novos paradigmas de análise para resolver os graves problemas de desigualdade e exclusão social do país. Nesse sentido, se propõe o conceito de Capital Social como categoria analítica que pode possibilitar o resgate da cidadania plena dos brasileiros. O trabalho conclui propondo uma abordagem compreensiva do déficit democrático no Brasil, no qual os problemas sociais são examinados a partir de diferentes níveis de análise, a saber: macro = nível da globalização; meso = nível institucional e micro = nível dos fatores culturais.


Palavras-chave


Globalização; Capital social; Cultura política; Brasil

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2176-6665.2004v9n2p139

Direitos autorais

Mediações - Revista de Ciências Sociais

Londrina - PR

ISSN: 1414-0543

EISSN: 2176-6665

Email: mediacoes@uel.br


Creative Commons License

 

Todos os artigos científicos publicados em mediacoes@uel.br estão licenciados sob uma Licença Creative Commons