Alguns apontamentos sobre as relações de poder e controle nas instituições psiquiátricas

Lecy Sartori

Resumo


O presente artigo pretende entender a relação que a sociedade brasileira tem com os doentes mentais, partindo de uma análise histórico-social da loucura. Assim, procurou-se examinar as formas de poder e controle instituídas em seu tratamento, que por um lado são impostas pelo saber médico psiquiátrico -encontrando-se em instituições como o próprio hospital psiquiátrico -e por outro, um novo modelo de tratamento oferecido para o doente mental, denominado de CAPs (Centro de Atendimento Psicossocial). O artigo ilustra algumas respostas obtidas pelo trabalho de campo realizado no Centro de Atendimento Psicossocial da cidade de Londrina, este com o objetivo de compreender as especificidades do lidar com o doente mental, assim como as constatadas relações de poder e controle que existem em seu tratamento


Palavras-chave


Doente mental; Política públicas; Foucault: relação de poder e controle

Texto completo:

PDF

Referências


ARENDT, Hannah.A condição humana. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1981. BASAGLIA, Franco.Apsiquiatria alternativa: contra o pessimismo da razão, o otimismo da prática. São Paulo: Brasil Debates, 1982.

BISNETO, José Augusto. Aanálise institucional no processo de renovação do serviço social no BrasiL In: ROSA, Lúcia Cristina dos Santos; PEREIRA, Ivana Carla Garcia; BISNETO, José Augusto; VASCONSELOS,Eduardo Mourão (Org.). Saúde mental eserviço social: odesafio da subjetividade eda interdiciplinariedade. São Paulo: COItez, 2002.

BOBBIO,Norbelto. Estado, governo,sociedade: por uma teoria geral da política. Rio deJaneiro: Paz eTerra, 1987.

CECÍLIO, Luiz Carlos de Oliveira. Autonomia versus controle dos trabalhadores: a gestão do poder no hospital. Revista Cimcia & Saúde Coletiva, v. 4, n. 2, p. 315-329,1999.

CONFERÊNCIA NACIONAL DE SAÚDE MENTAL: Cuidai; sim. Excluir, não. 3., 2002, Brasília. Caderno Informativo. Brasília: Ministério da Saúde, 2002. (Série de Reuniões eConferências; n.15) .

CUNHA, Edite da Pena;CUNHA, Eleonora Schettini M. Políticas públicas sociais. In: CARVALHO, Alysson et aI. (Org.). Políticas públicas. Belo Horizonte: UFMG, 2002. p. 11-25.

DAGNINO, Evelina (Org.) . Sociedade civil e espaços públicos no Brasil. São Paulo: Paz e Terra, 2002.

DAGNINO, Evelina. Sociedade Civil, Espaços Públicos e a Construção Democrática no Brasil: Limites e Possibilidades. In: DAGNINO, Evelina (Org.). Sociedade civil e espaços públicos no Brasil.São Paulo: Paz eTerra, 2002.

DRUMOND, CamilaZaina;CASARE, M.GiovanaSanches. CAPS:um novo modelo de assistência à Saúde Mental. 2002. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Serviço SoCial) ¬ Universidade Estadual de Londrina, Londrina.

FIGUEIREDO, Ana Elisa Bastos. Doença mental: exigência de integração ecoerência. Informação Psiquiátrica, Rio de Janeiro, v. 1, n. 18, p. 23-28, 1999.

FIRMO,Bianca Rodrigues. Reformapsiquiátrica: impressões eexpressões dos técnicos do caps Londrina.2003. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Serviço Social) -Universidade Estadual de Londrina.

FOUCAULT, Michel. AAnlueologia do Saber. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2004.

FOUCAULT, Michel. Am'se atual da medicina.Rio deJaneiro, 1974. Palestra pronunciada no Instituto de MediCina Social da Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

FOUCAULT, Michel. História da loucura. São Paulo: Perspectiva, 1999.

FOUCAULT, Michel. Osujeito e o poder. In: RABINOW, P; DREYFUS, H.Michel Foucault, uma trajetóriafilosófu;a (Para além do estruturalismo eda hermenêutica). Rio de Janeiro:Forense Universitária, 1995. p. 231-249.

FOUCAULT, Michel. Vigiar epunir: nascimento da prisão. Rio de Janeiro:Vozes, 1987.

FOUCAULT, Michel. Os anormais.São Paulo: Martins Fontes, 2002.

GOFFMAN, Erving. Manicômios, prisões e conventos. São Paulo: Perspectiva, 2003.

MACHADO, R. Por uma genealogia do poder. In: FOUCAULT, M. Microjfsica do Poder. Rio de Janeiro: Graal, 1979. p. vii-xxiii.

MAIA, Rousiley C. M.; FERNANDES, Adélia B. Omovimento antimanicomial como agente discursivo na esfera pública política. Revista Brasileira de Ciências Sociais, v. 17, n. 48, p. 157-171, 2002.

MEDEIROS, Soraya Maria de; GUIMARÃES,Jacileide. Cidadania e saúde mental no Brasil: contribuições ao debate. Revista Ciência & Saúde Coletiva, v. 7, n. 3, p. 571-579, 2002.

MUNÕZ, Cristina S. Hannah Arendt: el espaCio de la Política. Madrid: Centro de Estudos Políticos yConstitucionales, 2003.

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE, ORGANIZAÇÃO PAN-AMERlCANA DA SAÚDE. Relatório sobre a saúde no mundo 2001: Saúde mental: nova concepção, nova esperança. Rio de Janeiro: Gráfica BRASIL, 2001.

PASSOS, Izabel Christina Friche; BEATO, Mônica Soares da Fonseca. Concepções e Práticas Sociais em torno da Loucura: alcance e atualidade da História da Loucura de Foucault para investigação etnográficas. Psychê, São Paulo, ano 7, n. 12, p. 137-158, jul-dez. 2003.

PESSOTTI, Isaias. A loucura e as épocas. São Paulo: Ed.34, 1994. PESSOTTI, Isaias. O século dos manicômios. São Paulo: Ed. 34,1996.

PESSOTII, Isaias. Os nomes da loucura. São Paulo: Ed. 34,1999.

PEY, Malia Oly; BACCA, Ana Maria; SÀ,Raquel Stela de. Naspegadas de Foucault:apontamentos para a pesquisa em instituições. Rio de Janeiro:Achiamé,2004.

RABINOW,Paul;DREYFUS,Hubert. Michel Foucault, uma trajetóriafilosófica (Para além do estruturalismo eda helmenêutica). Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1995.

RESENDE, Heitol: Política de saúde mental no Brasil: uma visão histórica. In: TUNDIS,Silvério Almeida; COSTA, Nilson do Rosário. Cidadania e Loucura, políticas de saúde mental no Brasil. Rio de Janeiro:VOZR.S, 2001. p. 15-73.

SCHWARCZ, Lilia Moritz. Oespetáculo das raças: cientistas, instituições e questão racial no Brasil- 1870-1930. São Paulo: Companhia das Letras, 1993.

SERRANO, Alan Índio. Oque épsiquiatria alternativa. São Paulo: Brasiliense, 1988. SZASZ, Thomas S. Omito da doença mental. Rio deJaneiro: Zahar, 1979.

TEIXEIRA, Manuel Olavo Loureiro. Nascimento da Psiquiatria no Brasil. Cadernos IPUB, Rio de Janeiro, n. 8, p. 42-78,1997.

VASCONCELOS, Eduardo Mourão. Breve Periodização Histórica do Processo de Reforma Psiquiátrica no Brasil Recente. In: ROSA, Lúcia Cristina dos Santos; PEREIRA, Ivana Carla Garcia; BISNETO, José Augusto; VASCONSELOS, Eduardo Mourão (Org.). Saúde mental e serviço social: o desafio da subjetividade e da interdiciplinariedade. São Paulo: Cortez, 2002. p. 19-34.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2176-6665.2006v11n2p175

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

  

         

 

                       

 

 

Mediações - Revista de Ciências Sociais

Londrina - PR

E-ISSN: 2176-6665

Email: mediacoes@uel.br  

Mediações utiliza a licença Creative Commons Attribution 4.0 International