Ler Marx, hoje: um programa de pesquisa e de interpretação

Adriano Codato, Renato Perissinotto

Resumo


Apresentamos um projeto de leitura e de interpretação dos textos de Marx sobre a política francesa. O propósito mais amplo que inspira esse projeto é o desejo de tomar o pensamento de Marx como uma ciência social normal, em dois sentidos bem precisos: como um tipo de conhecimento científico, e não uma teoria normativa e/ou uma visão social de mundo; e como um gênero interpretativo, que consiste em conectar as ações e instituições políticas à sua dimensão social. Essa postura implica necessariamente uma compreensão diferente dos escritos de Marx, mais interessada em suas operações analíticas do que na monumental parafernália teórica sobre a qual elas se apoiam. Essas operações analíticas podem (ou não) ajudar a formular estratégias intelectuais para conectar microevidências à macroteoria e propor conceitos de médio alcance para colaborar na pesquisa social. Só assim os estudos marxistas conseguirão deixar de ser o que frequentemente tem sido: ilustração de teoria.


Palavras-chave


Marx; Marxismo; Ciência social; Teoria social; Teoria política.

Texto completo:

PDF

Referências


ALTHUSSER, Louis. O futuro dura muito tempo. São Paulo: Companhia das Letras, 1992.

ANDERSON, Perry. considerations on western marxism. London: Verso, 1976.

BENSAÏD, Daniel. Marx, o intempestivo: grandezas e misérias de uma aventura crítica (séculos XIX e XX). Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1999.

BOBBIO, Norberto. Existe uma doutrina marxista do estado? In: BOBBIO, Norberto et al. O marxismo e o estado. Rio de Janeiro: Graal, 1979. p. 28-29.

BOBBIO, Norberto. Existe uma doutrina marxista do estado? In:______. Qual socialismo? debate sobre uma alternativa. 2. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1983. p. 21-35.

BOBBIO, Norberto. Nem com Marx, nem contra Marx. São Paulo: Ed. UNESP, 2006.

COHEN, Gerald A. Karl Marx’s theory of history: a defense. New Jersey: Princeton University Press, 1978.

DERRIDA, Jacques. Spéctres de Marx. Paris: Galilée, 1993.

ELSTER, Jon. Making sense of Marx. Cambridge: Cambridge University Press, 1985.

JACOBY, Russel. Os últimos intelectuais: a cultura americana na era da academia. São Paulo: Trajetória Cultural/EDUSP, 1990.

LEBRUN, Gérard. Althusser e seu partido. In:______. Passeios ao léu. São Paulo: Brasiliense, 1983.

MAGUIRE, John M. Marx’s theory of politics. Cambridge: Cambridge University Press, 1978.

MARX, Karl. O 18 brumário e cartas a Kugelman. 7. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2002.

MARX, Karl. Œuvres. Paris: Gallimard, 1994. v. 4. t. 1. Tradução de: Maximilien Rubel.

MARX, Karl. Posfácio da segunda edição alemã de o capital (1873). In:______.

O capital: crítica da economia política. São Paulo: Abril Cultural, 1983. p. 15-21.

MILLS, Charles Wright. A imaginação sociológica. Rio de Janeiro: Zahar, 1965.

RIDENTI, Marcelo. Brasilidade revolucionária: um século de cultura e política. São Paulo: Ed. UNESP, 2010.

RUBEL, Maximilien. Em torno do marxismo. In:______. Entrevistas do Le

Monde: a sociedade. São Paulo: Ática, 1989. p. 140-146.

THERBORN, Göran. A análise de classe no mundo atual: o marxismo como ciência social. In: HOBSBAWM, Eric (Org.). História do marxismo. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1989. Coleção História do Marxismo, v. 11.

WILSON, Edmund. Rumo à estação Finlândia: escritores e atores da História. São Paulo: Companhia das Letras, 1986.

WRIGHT, Erik Olin. Class, crisis and the state. London: Verso, 1979.

WRIGHT, Erik Olin. Understanding class. New Left Review, London, n. 60, p. 101-116 Nov./Dec. 2009.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2176-6665.2010v15n2p219

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

  

         

 

                       

 

 

Mediações - Revista de Ciências Sociais

Londrina - PR

E-ISSN: 2176-6665

Email: mediacoes@uel.br  

Mediações utiliza a licença Creative Commons Attribution 4.0 International