Precarização do trabalho e processo produtivo do cuidado

Helaynne Ximenes Faria, Maristela Dalbello-Araujo

Resumo


Apesar de suas especificidades, o setor saúde também sofre influências neoliberais que provocam efeitos no mundo do trabalho. Este artigo retrata as conseqüências negativas da precarização sobre o processo de produção de cuidado em saúde, a partir da análise de uma Unidade de Saúde cuja maioria da equipe é terceirizada. Por meio dos relatos obtidos, pode-se verificar o sentimento de desvalorização expresso pelos trabalhadores, assim como a constatação de que a assistência à saúde da população fica comprometida devido ao ambiente tenso, marcado pela instabilidade do emprego, insatisfação e adoecimento dos trabalhadores. Sugere-se o investimento em políticas de enfrentamento da precarização no SUS, visto que ela coloca em risco as diretrizes e princípios desta política pública.


Palavras-chave


Política de saúde; Força de trabalho; Precarização; Processo de trabalho.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2176-6665.2011v16n1p142

Direitos autorais

Mediações - Revista de Ciências Sociais

Londrina - PR

ISSN: 1414-0543

EISSN: 2176-6665

Email: mediacoes@uel.br


Creative Commons License

 

Todos os artigos científicos publicados em mediacoes@uel.br estão licenciados sob uma Licença Creative Commons