O lugar de Tenório Cavalcanti na política do Rio de Janeiro: uma análise sobre o ano de 1954

Claudio Araujo de Souza e Silva

Resumo


O objetivo deste trabalho é analisar o fenômeno político expressado por Tenório Cavalcanti. Pretende-se apontar para alguns aspectos da relação estabelecida entre o ex-deputado, as suas bases eleitorais e as elites políticas existentes em seu contexto, de modo que seja possível situar o seu lugar no campo político do Rio de Janeiro. A análise se concentra sobre o ano de 1954 e coloca em questão a construção de sua identidade política, a partir de uma abordagem sobre os significados atribuídos aos conceitos de violência, udenismo e trabalhismo. A investigação empírica é baseada, sobretudo, no jornal Luta Democrática, criado por Tenório Cavalcanti. Este periódico lhe serviu como um importante aliado para a construção de sua imagem pública.


Palavras-chave


Tenório Cavalcanti; Violência; Udenismo; Trabalhismo.

Texto completo:

PDF

Referências


A MULHER trabalha mais de oito horas diárias! O Ministério do Trabalho estará a par das irregularidades? Jornal Luta Democrática, Rio de Janeiro, 3 fev. 1954. p. 6.

ALVES, José Claudio Souza. Baixada fluminense: a violência na construção do poder. Universidade de São Paulo. 1998. Tese (Doutorado em Sociologia) – Universidade de São Paulo, São Paulo.

BELOCH, Israel. Capa preta e Lurdinha: Tenório Cavalcanti e o povo da baixada. 2. ed. Rio de Janeiro: Record, 1986.

BENEVIDES, Maria Victoria de Mesquita. A UDN e o udenismo. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1981. (Coleção Estudos Brasileiros, 51 v.).

BOURDIEU, Pierre. A representação política: elementos para uma teoria do campo político. In:______. O poder simbólico. 13. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2010.

CAVALCANTI, Tenório. A derrocada fatal. Jornal Luta Democrática, 8 maio 1954a. p. 3.

CAVALCANTI, Tenório. A má fé dos necrófilos. Jornal Luta Democrática, Rio de Janeiro, 15 set. 1954b. p. 3.

CAVALCANTI, Tenório. Auscultando os sofrimentos do povo. JornalLuta Democrática, Rio de Janeiro, 13 jul. 1954c. p. 3

CAVALCANTI, Tenório. Extermínio dos pelegos. Jornal Luta Democrática, Rio de Janeiro, 26 fev. 1954d. p. 1.

CAVALCANTI, Tenório. O caminho da paz. Jornal Luta Democrática, Rio de Janeiro, 14 ago 1954e. p. 3.

CAVALCANTI, Tenório. O simbólico 9 de julho. Jornal Luta Democrática, Rio de Janeiro, 10 jul. 1954f. p. 3.

CAVALCANTI, Tenório.O engodo do salário mínimo. JornalLuta Democrática, Rio de Janeiro, 5 maio 1954g. p. 3.

CAVALCANTI, Tenório. Manifesto dos Coronéis. Jornal Luta Democrática, Rio de Janeiro, 7 maio 1954h, p. 3.

FORTES, Maria do Carmo Cavalcanti. Tenório: o homem e o mito. Rio de Janeiro: Record, 1986.

FREIRE, Americo Oscar Guichard; SARMENTO, Carlos Eduardo Barbosa. Três faces da cidade: um estudo sobre a institucionalização e a dinâmica do campo político carioca (1889-1969). In: FREIRE, Americo Oscar Guichard; SARMENTO,

Carlos Eduardo Barbosa; DA MOTTA, Marly Silva. A política carioca em quatro tempos. Rio de Janeiro: FGV, 2004.

FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS Dicionário histórico-biográfico brasileiro: pós1930. Rio de Janeiro: FGV, 2001. 2 v.

GOMES, Ângela de Castro. O populismo e as ciências sociais no Brasil: notas sobre a trajetória de um conceito. In: FERREIRA, Jorge (Org.). O populismo e sua história: debate e crítica. Rio de Janeiro: Civilização brasileira, 2001.

GRYNSZPAN, Mario. Os idiomas da patronagem: um estudo da trajetória de Tenório Cavalcanti. Revista Brasileira de Ciências Sociais, São Paulo, v. 14, 1990.

LACERDA, Carlos. Depoimento. 2. ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1978.

LIMA, Santa Cruz. Declaração. Jornal Luta Democrática, Rio de Janeiro, 1 maio 1954. p. 7.

SILVA, Arlindo. Memórias de Tenório Cavalcanti: segundo narrativa a Arlindo Silva. Rio de Janeiro: O Cruzeiro, 1954.

SIQUEIRA, Carla Vieira. Sexo, crime e sindicato: sensacionalismo e populismo nos jornais Última Hora, o dia e luta democrática durante o segundo governo Vargas (1951-1954). 2002. Tese (Doutorado em História) - Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro.

TRIBUNAL SUPERIOR ELEITORAL - TSE. Eleitos 1945-1990. Disponível em:. Acesso em: 15 maio 2011.

WEBER, Max. Economia e sociedade: fundamentos da sociologia compreensiva. 3. ed. Brasília: Universidade de Brasília, 1994.

WEBER, Max. Os três tipos puros de dominação legítima. In: COHN, Gabriel (Org.). Max Weber. 7. ed. São Paulo: Ática, 2008. (Coleção Grandes Cientistas Sociais, 13 v.

ZÉ ALAGOANO. Jornal Luta Democrática, Rio de Janeiro, 3 fev. 1954. p.1.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2176-6665.2011v16n1p256

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

  

         

 

                       

 

 

Mediações - Revista de Ciências Sociais

Londrina - PR

E-ISSN: 2176-6665

Email: mediacoes@uel.br  

Mediações utiliza a licença Creative Commons Attribution 4.0 International