Antonio Candido de Mello e Souza e Florestan Fernandes: breves perfis

Claudinei Carlos Spirandelli

Resumo


Este artigo enfoca, de maneira didática, perfis e trajetórias de importantes sociólogos paulistas: Antonio Candido de Mello e Souza e Florestan Fernandes. Nosso texto pretende mostrar suas origens, características de obras, os grupos sob suas lideranças e heranças legadas. Neste artigo, pretendemos uma melhor divulgação desses grandes nomes da sociologia brasileira.



Palavras-chave


Sociologia da cultura; História intelectual; Pensamento brasileiro; Sociologia uspiana.

Texto completo:

PDF

Referências


ABDALLA JUNIOR, Benjamin. Antonio Candido: Formação da literatura brasileira. In: MOTA, Lourenço Dantas (org.). Introdução ao Brasil: um banquete no trópico. São Paulo: SENAC, 1999.

ARANTES, Paulo Eduardo; ARANTES, Otília Beatriz Fiori. Sentido da formação: três estudos sobre Antônio Candido, Gilda de Mello & Souza e Lúcio Costa. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1997.

ARRUDA, Maria Arminda do Nascimento. A sociologia no Brasil: Florestan

Fernandes e a “escola paulista”. In: MICELI, Sérgio (org.). História das ciências sociais no Brasil. São Paulo: Sumaré, 1995. Vol. 2.

BASTOS, Élide Rugai. Pensamento social da escola sociológica paulista. In: MICELI, Sergio (org.). O que ler na ciência social brasileira 4 (1970-2002). São Paulo: ANPOCS, Sumaré; Brasília (DF): CAPES, 2002.

BOURDIEU, Pierre. As regras da arte: gênese e estrutura do campo literário. São Paulo: Companhia das Letras, 1996.

BOURDIEU, Pierre. A economia das trocas simbólicas. São Paulo: Perspectiva, 1974.

CARDOSO, Irene de A. R. A universidade da comunhão paulista: o projeto de criação da Universidade de São Paulo. São Paulo: Cortez, 1982.

COHN, Gabriel. Padrões e dilemas: o pensamento de Florestan Fernandes. In: MORAES, Reginaldo et allii (orgs.). Inteligência brasileira. São Paulo: Brasiliense, 1986.

D’INCAO, Maria Ângela. (org.). O saber militante: ensaios sobre Florestan

Fernandes. Rio de Janeiro: Paz e Terra; São Paulo: UNESP, 1987.

ELIAS, Norbert. Mozart: sociologia de um gênio. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1995.

FERNANDES, Florestan. A condição de sociólogo. São Paulo: Editora Hucitec, 1978.

FERNANDES, Florestan. A sociologia no Brasil: contribuição para o estudo de sua formação e desenvolvimento. Petrópolis: Vozes, 1977.

FERNANDES, Florestan. Florestan Fernandes por ele mesmo. Estudos Avançados, São Paulo, v. 10, n. 26, jan./abr. 1995a, pp. 129-172. (Organização de Bárbara Freytag).

FORACCHI, Marialice Menccarini (org.). Mannheim: sociologia. São Paulo:

Ática, 1982.

GARCIA, Sylvia Gemignani. Destino ímpar: sobre a formação de Florestan

Fernandes. São Paulo: 34, 2002.

IANNI, Octavio. Florestan Fernandes: sociologia. São Paulo: Ática, 1983.

IMAMURA, Avelar Cezar. Florestan Fernandes: a sociologia como paixão. São Paulo: FFLCH/USP, 1995. Dissertação (Mestrado em História).

JACKSON, Luiz Carlos. A sociologia paulista nas revistas especializadas (1940- 1965). Tempo Social, São Paulo, v.16, n.1, pp. 263-283, junho de 2004.

JACKSON, Luiz Carlos. A tradição esquecida: os parceiros do Rio Bonito e a sociologia de Antonio Candido. Belo Horizonte: UFMG; São Paulo: FAPESP, 2002.

JACKSON, Luiz Carlos. Gerações pioneiras na Sociologia paulista (1934-1969). Tempo social, São Paulo, v. 19, n. 1, 2007. Disponível em: Acesso em: 10 jan. 2008.

LEPENIES, Wolf. As três culturas. São Paulo: Edusp, 1996.

LIMONGI, Fernando. Mentores e clientelas na Universidade de São Paulo. In: MICELI, Sergio (org.). História das ciências sociais no Brasil. São Paulo: Sumaré, 2001. Vol. 1.

MARTINEZ, Paulo (org.). Florestan ou o sentido das coisas. São Paulo: Boitempo, 1998.

MARTINS, José de Souza. Florestan: sociologia e consciência social no Brasil. São Paulo: Edusp, 1998.

MELLO E SOUZA, Antonio Candido de. Florestan Fernandes. São Paulo: Fundação Perseu Abramo, 2001.

MELLO E SOUZA, Antonio Candido de. Os parceiros do Rio Bonito: estudo sobre o caipira paulista e a transformação dos seus meios de vida. São Paulo: Duas Cidades; Ed. 34, 2001b.

MELLO E SOUZA, Antonio Candido de. Formação da literatura brasileira: momentos decisivos. Belo Horizonte: Itatiaia, 2000.

MICELI, Sérgio (org.). História das ciências sociais no Brasil. São Paulo:

Sumaré, 2001a. Vol. 1.

MICELI, Sérgio. Intelectuais à brasileira. São Paulo: Companhia das Letras, 2001b.

MICELI, Sérgio (org.). História das ciências sociais no Brasil. São Paulo: Sumaré; FAPESP, 1995. Vol. 2.

OLIVEIRA, Lúcia Lippi. A sociologia do Guerreiro. Rio de Janeiro: UFRJ, 1995.

PEIXOTO, Fernanda Arêas. Diálogos brasileiros: uma análise da obra de Roger Bastide. São Paulo: EDUSP, 2000.

PONTES, Heloisa. Destinos mistos: os críticos do Grupo Clima em São Paulo (1940-1968). São Paulo: Companhia das Letras, 1998.

RAMOS, Guerreiro Antonio. Introdução crítica à sociologia brasileira. Rio de Janeiro: Andes Ltda., 1957 (3a. parte).

ROMÃO, Wagner de Melo. A experiência do Cesit: sociologia e política acadêmica nos anos 1960. Dissertação de Mestrado, Sociologia, FFLCH/USP, São Paulo: 2003.

SCHWARZ, Roberto. Um seminário de Marx. In: Seqüências brasileiras: ensaios. São Paulo, Companhia das Letras, 1999. pp. 86-105.

SOARES, Eliane Veras. Florestan Fernandes: o militante solitário. São Paulo: MEC/Funarte, 1996.

WEBER, Max. Sociologia da religião (tipos de relações comunitárias religiosas). In: Economia e sociedade: fundamentos da Sociologia compreensiva. Brasília (DF): Editora UnB; São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 1999. Vol. I.

WEBER, Max. Ensayos sobre sociología de la religión. Madrid: Taurus, 1991 (3

volumes).




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2176-6665.2010v15n1p204

Direitos autorais

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

  

         

 

                       

 

 

Mediações - Revista de Ciências Sociais

Londrina - PR

E-ISSN: 2176-6665

Email: mediacoes@uel.br  

Mediações utiliza a licença Creative Commons Attribution 4.0 International