Para relembrar... Direitos Humanos e povos indígenas

Graziele Acçolini

Resumo


Este artigo pretende apresentar brevemente casos de povos indígenas ameaçados, como a tragédia que atingiu os Ñambiquara do Mato Grosso ocorrida na década de 1970/80 durante a ditadura militar e a situação de desnutrição e dos suicídios que afligem os índios Guarani Kaiowá, população do Mato Grosso do Sul, considerando-os como casos emblemáticos sobre a questão da diversidade cultural em relação aos direitos humanos. O objetivo é chamar a atenção para as dificuldades enfrentadas pelos povos indígenas como a ocupação e liberação de terras para fins exploratórios, desmatamentos, queimadas e a tomada de posse pelos latifúndios e a monocultura. Vale lembrar que tais questões não dizem respeito apenas aos povos indígenas, elas também abrangem diretamente determinadas populações e a humanidade em geral, pois se constituem problemas de todos nós.



Palavras-chave


Povos indígenas; Diversidade; Direitos Humanos.

Texto completo:

PDF

Referências


AZEVEDO, Maria Marta. Suicídio Kaiowá. Revista Terra Indígena. CEIMAM

(Centro de Estudos Indígenas Miguel A Menéndez), v.8, n.58, Araraquara, 1991, p. 6-28.

BARROS, João de. O Araguaia já está morrendo: entrevista com Pedro Casaldáliga. Caros Amigos, São Paulo, ano 12, n. 137, 2008, pp.38-43.

CARVALHO, Silvia M. S. O trickster como personificação de uma práxis. Perspectiva, n. 8, São Paulo, 1985, pp.177-186.

DUSSEL, Enrique D. Filosofia da libertação na América Latina. São Paulo:

Loyola, 1977.

GANDIN, Luis A. e HYPOLITO, Álvaro M. Dilemas do nosso tempo: globalização, multiculturalismo e conhecimento: entrevista com Boaventura de Sousa Santos. Currículo sem Fronteiras, v.3, n.2, 2003, pp.5-23.

GODOY, Marília G.G. O misticismo Guarani Mbya na era do sofrimento e da imperfeição. São Paulo: Terceira Margem, 2003.

LÉVI-STRAUSS, Claude. Tristes trópicos. São Paulo: Companhia das Letras, 1996.

LEVCOVITZ, Sergio. Kandire: o paraíso terreal. O suicídio entre os índios Guarani do Brasil. Rio de Janeiro: Ed. Espaço e Tempo, 1998.

PEREIRA, Levi Marques. Assentamento e formas organizacionais dos Kaiowá atuais. Revista Tellus, ano 3, n.4, Campo Grande, 2003, p. 137-145.

PERRONE-MOISÉS, Beatriz. Índios livres e índios escravos. Os princípios da legislação indigenista do período colonial (séculos XVI a XVIII). In: CUNHA, Manuela C (Org.). História dos índios no Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 1992.

SAMANIEGO, Daniela Paes Moreira. Direitos humanos como utopia. Jus

Navigandi, Teresina, ano 4, n. 46, out. 2000.

SCHADEN, Egon. Aculturação indígena. São Paulo: Ed. Da Universidade de São Paulo, 1969.

TOSI, Giuseppe. História e atualidade dos direitos do homem. In: Polícia e Democracia: desafios à educação em direitos humanos. Recife: Ed. Bagaço, 2002, p. 25-49.

VIETTA, Katya e BRAND, Antonio. Missões evangélicas e igrejas neopentecostais entre os Kaiowá e os Guarani em Mato Grosso do Sul. In: WRIGHT, Robin (org.). Transformando os deuses – Vol. II. Campinas: Ed. da Unicamp, 2004.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2176-6665.2010v15n1p92

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

  

         

 

                       

 

 

Mediações - Revista de Ciências Sociais

Londrina - PR

E-ISSN: 2176-6665

Email: mediacoes@uel.br  

Mediações utiliza a licença Creative Commons Attribution 4.0 International