Diversidade cultural, pluralidade, diferença: qual é a questão?

Daniele Pechuti Kowalewski, Flávia Schilling

Resumo


O presente artigo busca discutir a presença, na educação brasileira, da questão das diversidades culturais tornadas necessidades curriculares. Para melhor entender essa questão, analisamos sua emergência através de alguns documentos federais – Tema transversal Pluralidade Cultural, nos PCN, As Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações Étnico-Raciais e para o Ensino de História e Cultura Afro-Brasileira e Africana e o Programa Ética e Cidadania: construindo valores na escola e na sociedade, visando reconhecer as conexões estabelecidas nos citados documentos com as lutas contemporâneas vinculadas ao reconhecimento identitário. Trata-se de traçar um paralelo – mesmo que inicial - entre tais lutas e questões da democracia contemporânea, a partir das noções de desentendimento em Jacques Rancière e de poderes e direitos em Michel Foucault.

Palavras-chave


Currículo; Democracia; Diversidades culturais; Foucault; Rancière.

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: terceiro e quarto ciclos: apresentação dos temas transversais. Brasília: MEC, 1998.

BRASIL. Ministério da Educação. Resolução nº 1, de 17 de junho de 2004.

Diretrizes curriculares nacionais para a educação das relações étnico-raciais e para o ensino de história e cultura afro-brasileira e africana. Brasília: MEC, 2004.

BRASIL. Secretaria de Educação Básica. Programa ética e cidadania:

construindo valores na escola e na sociedade: relações étnico-raciais e de gênero. Brasília: Ministério da Educação, 2007. (Módulo 1: Ética).

FONSECA, Márcio Alves. Para pensar o público e o privado: Foucault e o tema das partes de governar In: RAGO, Margareth; VEIGA-NETO, Alfredo (Org.). Figuras de Foucault. 2. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2008. p. 155-163

FOUCAULT, Michel. A história da sexualidade I: a vontade de saber. 5. ed. Rio de Janeiro: Graal, 1984.

FOUCAULT, Michel. O sujeito e o poder. In: DREYFUS, H. L.; RABINOW, P. Michel Foucault: uma trajetória filosófica, para além do estruturalismo e da hermenêutica. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1995.

FOUCAULT, Michel. Face aux gouvernements, lês droits de l´homme. In: FOUCAULT, Michel. Dits et écrits II: 1976-1988. Paris: Quarto Gallimard, 2001.

FOUCAULT, Michel. Nascimento da biopolítica: curso dado no collège de France (1978- 1979). São Paulo: Martins Fontes, 2008a. (Coleção Tópicos).

FOUCAULT, Michel. Le Gouvernement de soi et des autres: cours au collège de France 1982-1983. Paris: Gallimard, 2008b.

GIACÓIA JUNIOR, Oswaldo. Sobre direitos humanos na era da bio-política. Kriterion, Belo Horizonte, v. 49, n. 118, p. 267-308, 2008. Disponível em: . Acesso em: 23 nov. 2009.

NATERCIA, Flávia. Em nome do dissenso, filósofo francês redefine termos e conceitos na arte e na política. Ciência e Cultura, São Paula, v. 57, n. 4, p. 16- 16, 2005. Disponível em: . Acesso em: 17 nov. 2009.

RANCIÈRE, Jacques. O desentendimento: política e filosofia. São Paulo: Ed. 34,1996. (Coleção TRANS).




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2176-6665.2011v16n1p275

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

  

         

 

                       

 

 

Mediações - Revista de Ciências Sociais

Londrina - PR

E-ISSN: 2176-6665

Email: mediacoes@uel.br  

Mediações utiliza a licença Creative Commons Attribution 4.0 International