Neoliberalismo e sofrimento psíquico: A psiquiatrização dos padecimentos no âmbito laboral e escolar

Sandra Caponi, Patricia Kozuchovski Daré

Resumo


O neoliberalismo é um espaço de produção de subjetividade cujo eixo é a noção de capital humano. Considerando-se que, para o discurso neoliberal, a construção desse capital humano deve ter início na primeira infância, mostramos que, nesse contexto, a educação é entendida como um investimento destinado a hierarquizar e valorizar esse capital. Partindo dos trabalhos de Dardot e Laval, propomos estudar o impacto efetivo que esse modo neoliberal de entender educação tem no âmbito escolar, sublinhando seu vínculo com a proliferação de diagnósticos psiquiátricos na infância. Finalmente, analisamos de que modo esse processo de psiquiatrização dos sofrimentos psíquicos, e de apagamento de fatores e conflitos sociais, impacta na saúde mental das crianças quando elas fracassam no processo educativo.

Palavras-chave


Capital humano; Educação; Sofrimento psíquico; Psiquiatrização; Infância.

Texto completo:

PDF

Referências


ALEMÁN, Jorge. Hay mucho miedo de que se ponga todo mucho peor de como está. Página 12, Buenos Aires, 20 abr. 2017.

APA - AMERICAN PSYCHIATRIC ASSOCIATION. Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders, DSM-5. Arlington: APA, 2013.

BALL, Stephen J. Educação global S. A.: novas redes políticas e o imaginário neoliberal. Ponta Grossa: UEPG, 2014.

BAUMAN, Zygmunt. Miedo líquido: la sociedad contemporánea y sus temores. Buenos Aires: Paidos, 2007.

BECKER, Gary. Investment in human capital: a theoretical analysis. The Journal of Political Economy, Chicago, v. LXX, n. 5, p. 9–49, out. 1962.

BOURDIEU, Pierre. A essência do neoliberalismo. Le Monde Diplomatique, São Paulo, p. 10-13 , fev. 1998.

BOURDIEU, Pierre. Capital cultural, escuela y espacio social. Buenos Aires: Siglo XXI, 2008.

CAMPBELL, Denis; MARSH, Sarah. Quarter of a million children receiving mental health care in England. The Guardian, New York, 3 Oct. 2016. Disponível em: https://www.theguardian.com/society/2016/oct/03/quarter-of-a-million-children-receiving-mental-health-care-in-england. Acesso em: 13 jun. 2020.

CARVALHO, José Sérgio Fonseca. Educação, uma herança sem testamento: diálogos com o pensamento de Hannah Arendt. São Paulo: FAPESP, 2017.

DARDOT, Pierre; LAVAL, Christian. A nova razão do mundo: ensaio sobre a sociedade neoliberal. São Paulo: Boitempo, 2016.

DARÉ, Patricia K. A definição das políticas públicas educacionais brasileiras a partir do discurso neoliberal. Tese de doutorado, Ciências Humanas, Universidade Federal de Santa Catarina, 2019.

FARIAS, Francisco Ramos. O fracasso escolar no cenário das patologias da contemporaneidade. Arquivos Brasileiros de Psicologia, Rio de Janeiro, v. 59, n. 2, dez. 2007.

FOUCAULT, Michel. Naissance de la biopolitique. Paris: Gallimard, 2005.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e punir. Petropolis: Ed. Vozes, 1999.

GOFFMAN, Ervin. Estigma: notas sobre a manipulação da identidade deteriorada. Rio de janeiro: LTC, 1988.

INSEL, Thomas. Transforming diagnosis. NIMH Director’sbBlog, 29 Apr. 2013. Disponível em: http://www.nimh.nih.gov/about/director/2013/transforming-diagnosis.shtml. Acesso em: 13 jun. 2020.

LAVAL, Christan. A escola não é uma empresa: o neoliberalismo em ataque no ensino público. Londrina: Planta, 2004.

LAVAL, Christian. Foucault, Bourdieu et la question néolibéral. Paris: La Découvert, 2018.

LAVAL, Christian; BLAY, Michel. Neuropédagogie: le cerveau au centre de l´école. Paris: Tschann & Cie, 2019.

LAVAL, Christian; DARDOT, Pierre. Común: ensayo sobre la revolución en el siglo XXI. Barcelona: Gedisa Editorial, 2015.

MONCRIEFF, Joanna. Magic bullets for mental disorders: the emergence of the concept of an “antipsychotic” drug. Journal of the History of the Neurosciences, London, v. 22, n. 1, p. 30-46, 2013.

MONCRIEFF, Joanna. Neoliberalism and biopsychiatry: a marriage of convenience. In: COHEN, C.; TIMIMI, S. (ed.). Liberatory psychiatry: philosophy, politics and mental health. Cambridge: Cambridge University Press, 2008. p. 235-256. Disponível em: https://www.cambridge.org/core/books/liberatory-psychiatry/neoliberalism-and-biopsychiatry-a-marriage-of-convenience/73EDE3E8FF1797F891BDF1FC36C2A739. Acesso em: 13 jun. 2020.

OECD - ORGANIZAÇÃO PARA COOPERAÇÃO E DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO. Lessons from PISA for Korea. Paris: OECD, 2014. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1787/9789264190672-en. Acesso em: 13 jun. 2020.

PATTO, Maria Helena Souza. A produção do fracasso escolar: histórias de submissão e rebeldia. São Paulo: Intermeios, 2015.

PIGNARRE, Phyllipe. Les malheurs des psys: psychotropes et médicalisation du social. Paris: La Découverte, 2006.

ROSE, Nikolas. Our psychiatric future. Cambridge: Polity Press, 2019.

SCHULTZ, Theodor W. O capital humano: investimentos em educação e pesquisa. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1973.

SENNETT, Richard. A corrosão do caráter: o desaparecimento das virtudes com o novo capitalismo. Rio de Janeiro: BestBolso, 2012.

SOUZA, Aracy Mendes. Arqueologia do fracasso escolar nas práticas discursivas relativas ao ensino fundamental em Mato Grosso do Sul. 2011. Tese (Doutorado em Educação) - Universidade Federal do Mato Grosso do Sul, 2011.

VARSAVSKY, Julián. Parasite no es fantasía. Página 12, Buenos Aires, 27 fev. 2020.

WHITAKER, Robert. Anatomia de uma epidemia: medicamentos psiquiátricos y el asombroso aumento de las enfermedades mentales. Madrid: Capitan Swing, 2015.

WHITAKER, Robert. Mad in America: bad science, bad medecine, and the enduring mistratment of the mentallu ill. New York: Basic Books, 2010.

WHITAKER, Robert; COSGROVE, Lisa. Psychiatry under the influence: institutional corruption, social injury, and prescriptions for reform. Chennal: Palgrave MacMillan, 2015.

YOUNG MIND. 2020. Disponível em: https://youngminds.org.uk/. Acesso em: 13 jun. 2020




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2176-6665.2020v25n2p302

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

  

         

 

                       

 

 

Mediações - Revista de Ciências Sociais

Londrina - PR

E-ISSN: 2176-6665

Email: mediacoes@uel.br  

Mediações utiliza a licença Creative Commons Attribution 4.0 International