Adesão à Democracia e Apartidarismo na América Latina: Análise Multidimensional

Éder Rodrigo Gimenes, Julian Borba

Resumo


Dado o distinto contexto do desenvolvimento contemporâneo das relações dos eleitores com partidos políticos em regimes consolidados e em novas democracias, o presente artigo tem por objetivo avançar na identificação dos preditores da adesão à democracia na América Latina, por meio de modelos hierárquicos que incorporam tanto variáveis estruturais quanto aquelas de nível individual para a explicação do fenômeno, com destaque aos perfis de eleitores que consideram seu refinamento cognitivo e político. Para tanto, construímos modelos que consideram tanto a tese do apartidarismo e a relevância da mobilização cognitiva, em termos individuais, quanto a experiência nacional decorrente do legado democrático. Nossos resultados permitem inferir, por um lado, que o refinamento cognitivo dos eleitores é mais relevante do que o partidarismo com relação ao apoio que tais indivíduos manifestam com relação às diferentes dimensões da democracia, bem como, por outro lado, que a qualidade e a persistência do regime surtem impactos apenas sobre algumas dimensões da democracia.

Palavras-chave


Partidarismo; Adesão à democracia; Mobilização cognitiva; América Latina.

Texto completo:

PDF

Referências


ALBALA, A.; VIEIRA, S. M. ¿Crisis de los partidos en América Latina? El papel de los partidos políticos latinoamericanos en el escenario reciente. Política, Chile, v. 52, n. 1, p. 145-170, 2014.

BAQUERO, M. Identificação partidária e comportamento eleitoral. In: ENCONTRO ANUAL DA ANPOCS, 36., 2012, Águas de Lindóia. Anais [...]. Águas de Lindóia, SP: ANPOCS, 2012.

BLAIS, A.; RUBENSON, D. The source of turnout decline: new values or new contexts? Comparative Political Studies, Beverly Hills, v. 46, n. 1, p. 95-117, 2012.

BOHRNSTEDT, G. W.; KNOKE, D. Statistics for social data analysis. 2. ed. Itasca: Peacock, 1988.

BOOTH, J.; SELIGSON, M. A. The legitimacy puzzle in Latin America: political support and democracy in eight nations. New York: Cambridge University, 2009.

BORBA, J.; GIMENES, É. R.; RIBEIRO, E. A. Bases sociais, atitudinais e comportamentais do apartidarismo brasileiro. Novos Estudos, São Paulo, v. 101, p. 27-55, 2015.

BORBA, J.; RIBEIRO, E. A.; CARREIRÃO, Y.; GIMENES, É. R. Determinantes individuais e de contexto da simpatia partidária na América Latina. Revista Brasileira de Ciências Sociais, São Paulo, v. 33, n. 97, p. 1-24, 2018.

CARLIN, R. E.; SINGER, M. M. Support for polyarchy in the Americas. Comparative Political Studies, Beverly Hills, v. 44, n. 11, p. 1500-1526, 2011.

CAMPBELL, A.; CONVERSE, P. E.; MILLER, W. E.; STOKES, D. The American Voter. New York; London: John Wiley, 1960.

CARRERAS, M.; MORGENSTERN, S.; SU, Y. P. Refining the theory of partisan alignments: evidence from Latin America. Party Politics, Sussex, UK, p. 1-15, 2013. Disponível em: http://ppq.sagepub.com/ content/early/2013/07/11/1354068813491538.full.pdf+html. Acesso em: 13 dez. 2014.

CARVALHO, G. S.; MINGOTI, S. A. Manual do usuário: programas para a realização da análise hierárquica. 2005. Disponível em: http://www.est.ufmg.br/estatistica_industrial/manual%20do%20usu%E1rio_an%E1lise_hier%E1rquica.pdf. Acesso em: 8 out. 2018.

CASALECCHI, G. Á. O legado democrático e as atitudes democráticas: efeitos diretos, indiretos e condicionados. 2016. 199 f. Tese (Doutorado em Ciência Política) – Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2016.

CASALECCHI, G. Á.; GIMENES, É. R. Partidarismo e legado democrático na América Latina. In: ENCONTRO ANUAL DA ASSOCIAÇÃO NACIONAIS DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA EM CIÊNCIAS SOCIAIS, 41.,2017, Caxambu. Anais [...]. Caxambu: ANPOCS, 2017.

CEPAL - COMISIÓN ECONÓMICA PARA AMÉRICA LATINA Y EL CARIBE. Panorama regional de América Latina y el Caribe: Indicadores seleccionados – Económico: PIB total y per capita. Disponível em: https://estadisticas.cepal.org/cepalstat/Portada.html. Acesso em: 13 set. 2018.

CONVERSE, P. E. Of time and partisan stability. Comparative Political Studies, Beverly Hills, v. 2, p. 139-171, 1969.

DAHL, R. A. Poliarquia: participação e oposição. São Paulo: USP, 1997.

DALTON, R. J. The apartisan American: dealignment and changing electoral politics. Washington, DC: Sage, 2013.

DALTON, R. J. Political support in advanced industrial democracies. In: NORRIS, P. (ed.). Critical citizens: global support for democratic government. Oxford: Oxford University, 1999. p. 57-77.

DALTON, R. J.; FLANAGAN, S.; BECK, P. (ed.). Electoral change in advanced industrial democracies. Princeton: Princeton University, 1984.

DALTON, R. J.; McALLISTER, I.; WATTENBERG, M. Democracia e identificação partidária nas sociedades industriais avançadas. Análise Social, Rio de Janeiro, v. 38, n. 167, p. 295-320, 2003.

DOWNS, A. An economic theory of democracy. Nova York: Harper Row, 1957.

EASTON, D. A re-assessment of the concept of political support. British Journal of Political Science, Cambridge, v. 5, n. 4, p. 435-457, 1975.

FIORINA, M. Retrospective voting in American national elections. New Haven: Yale University, 1981.

FUKS, M.; CASALECCHI, G. A.; GONCALVES, G. Q.; DAVID, F. F. Qualificando a adesão à democracia no Brasil: quão democráticos são os democratas brasileiros? Revista Brasileira de Ciência Política, Brasília, v. 19, p. 199-219, abr. 2016.

FUKS, M.; CASALECCHI, G. A.; RIBEIRO, E. A. Os condicionantes individuais e contextuais da coesão do sistema de crenças democrático. In: SEMINÁRIO NACIONAL SOBRE COMPORTAMENTO POLÍTICO E OPINIÃO PÚBLICA, 1., 2014, Florianópolis. Working paper... [...]. Florianópolis, SC: UFSC, 2014.

GIMENES, É. R. Eleitores e partidos políticos na América Latina. Curitiba: Appris 2017.

GIMENES, É. R. Cultura política e democracia: apoio difuso e específico entre um segmento da elite não estatal do município de Maringá (PR). 2011. 178 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais) – Universidade Estadual de Maringá, Maringá, 2011.

GREEN, D.; PALMQUIST, B.; SCHICKLER, E. Partisan hearts & minds: political parties and the social identities of voters. New Haven: Yale University, 2002.

INGLEHART, R.; WELZEL, C. Modernização, mudança cultural e democracia: a sequência do desenvolvimento humano. São Paulo: Francis, 2009.

KLINGEMANN, H. Mapping political support in the 1990s: a global analysis. In: NORRIS, P. (ed.). Critical citizens: global support for democratic government. Oxford: Oxford University, 1999. p. 31-56.

LAPOP - LATIN AMERICAN PUBLIC OPINION PROJECT. Banco de dados 2012. Disponível em: http://datasets.americasbarometer.org/database/index.php?freeUser=true. Acesso em: 13 set. 2018.

LEVITSKY, S.; ZIBLATT, D. Como as democracias morrem. Rio de Janeiro: Zahar, 2018.

LUPU, N. Partisanship in Latin America. In: CARLIN, R. E.; SINGER, M. M.; ZECHMEISTER, E. J. (ed.). The Latin American voter: pursuing representation and accountability in challenging contexts. Ann Arbor: Michigan University, 2015. p. 226-245.

MAGALHÃES, P. Regime support. In: FISHER, J. et al. The routledge handbook of elections, voting behavior and public opinion. London: Routledge, 2018. p. 416-427.

MAINWARING, S. Sistemas partidários em novas democracias: o caso do Brasil. Porto Alegre/Rio de Janeiro: Mercado Aberto: FGV, 2001.

MAINWARING, S.; BRINKS, D.; PÉREZ-LIÑÁN, A. Classifying political regimes in Latin America, 1945-1999. Studies in Comparative International Development, Saint Louis, v. 36, n. 1, p. 37-65, 2010.

MOISES, J. Á. Cultura política, instituições e democracia: lições da experiência brasileira. Revista Brasileira de Ciências Sociais, São Paulo, v. 23, n. 66, p. 11-43, 2008.

MORENO, A. Partidarismo e ideologia nos eleitorados latino-americanos. In: TELLES, H.; LAVAREDA, A. (org.). Voto e estratégia de comunicação política na América Latina. Curitiba: Appris, 2015. p. 41-59.

NORRIS, P. Democratic deficit: critical citizens revisited. Nova York: Cambridge University, 2011.

NORRIS, P. Critical citizens: global support for democratic governance. Oxford: Oxford University, 1999.

OLIVEIRA, R. A. Cultura política e gênero na América Latina: estudo sobre as dimensões subjetivas da sub-representação feminina. 2015. 81 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais) – Universidade Estadual de Maringá, Maringá, 2015.

PAYNE, J. M. Party systems and democratic governability. In: PAYNE, J. M.; ZOVATTO G. D.; DÍAZ, M. M.; ZAVALA, A. A.; CARRILLO-FLÓREZ, F.; ECHEBARRÍA, K.; FREIDENBERG, F.; IARQUÍN, E. Democracies in development. Politics and reform in Latin America. Washington, D. C.: Inter-American Development Bank/International Institute for Democracy and Electoral Assistance, 2007. p. 149-177.

PÉREZ-LIÑÁN, A.; MAINWARING, S. Regime legacies and levels of democracy: evidence from Latin America. Comparative Politics, New York, v. 45, n. 4, p. 379-397, 2013.

RAUDENBUSH, S. W.; BRYK, A. S. Hierarchical linear models: applications and data analysis methods. Nova York, Sage, 2002.

REIS, F. W. Engenharia e decantação. In: BENEVIDES, M. V.; VANNUCHI, P.; KERCHE, F. (org.). Reforma política e cidadania. São Paulo: Perseu Abramo, 2003. p. 13-32.

RICO, G. La formación de identidades partidistas en Europa: más allá de la teoría de Converse. In: TORCAL, M. (ed.). La ciudadanía europea en el siglo XXI: Estudio comparado de sus actitudes, opinión pública y comportamiento políticos. Madrid: CIS, 2010. p. 143-174.

RODRÍGUEZ, L. M. R. Oferta partidária e comportamento eleitoral na América Latina. In: TELLES, H. S.; MORENO, A. (org.). Comportamento eleitoral e comunicação política na América Latina: o eleitor latino-americano. Belo Horizonte: UFMG, 2013. p. 25-52.

VAN BIEZEN, I.; MAIR, P.; POGUNTKE, T. Going, going,… gone? The decline of party membership in contemporary Europe. European Journal of Political Research, Amsterdam, v. 51, p. 24-56, 2012.

VEIGA, L. F.; GIMENES, É. R.; RIBEIRO, E. A. O voto econômico em democracias recentes: determinantes do comportamento eleitoral na América Latina. In: VEIGA, L. F.; RIBEIRO, E. A.; GIMENES, É. R. (org.). Comportamento político e opinião pública: estudos sobre Brasil e América Latina. Curitiba: CPOP, 2018. p. 109-127.

WATTENBERG, M. P. Electoral turnout: the new generation gap. British Elections & Parties Yearbook, London, v. 13, n. 1, p. 159-173, 2003.

WEISBERG, H. F.; GREENE, S. The political psychology of party identification. In: MACKUEN, M. B.; RABINOWITZ, G. (org.). Electoral democracy. Ann Arbor: University of Michigan, 2003.

WITHELEY, P. Is the party over? The decline of party activism and membership across the Democratic World. Party Politics, Sussex, UK, v. 17, p. 21, 2011.

WOOLDRIGDE, J. M. Introdução à econometria: uma abordagem moderna. São Paulo: Pioneira, 2005.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2176-6665.2019v24n3p167

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

  

         

 

                       

 

 

Mediações - Revista de Ciências Sociais

Londrina - PR

E-ISSN: 2176-6665

Email: mediacoes@uel.br  

Mediações utiliza a licença Creative Commons Attribution 4.0 International