Gênero, cuidado e famílias: tramas e interseções

Sabrina Finamori, Flávio Rodrigo F. Ferreira

Resumo


Considerando a centralidade que a noção de relatedness ou relacionalidade (CARSTEN, 2000 e 2004) têm adquirido em pesquisas contemporâneas que versam sobre família e parentesco, bem como os importantes rendimentos analíticos da noção de care (HIRATA e GUIMARÃES, 2012), propomos fazer um balanço sobre as relações entre gênero, cuidado e famílias tendo como linha condutora nossas próprias trajetórias acadêmicas como pesquisadores desses campos de estudos. Argumentamos que a discussão sobre cuidado pode se coadunar aos recentes debates em torno de família/parentesco enquanto relacionalidade, uma vez que traz ao primeiro plano as dimensões dos afetos, das reciprocidades tanto quanto as dimensões de classe, raça, geração e os entrelaçamentos entre família, mercado e Estado.

Palavras-chave


Gênero; Cuidado; Família; Parentesco.

Texto completo:

PDF PDF

Referências


ALBER & DROTBOHN (Eds). Anthropological Perspectives on Care: Work, Kinship, and the Life-Course. New York: Palgrave Macmillan, 2015.

ALMEIDA, Heloísa Buarque de. “Muitas mais coisas”: telenovela, consumo e gênero. 2001. Tese (Doutorado em Ciências Sociais) - Unicamp, Campinas, 2001.

ALMEIDA, Heloísa Buarque de. Telenovela, consumo e gênero: “muitas mais coisas”, Bauru: EDUSC, 2003.

CARSTEN, J. (ed). The Substance of Kinship and the Heat of the Hearth: Feeding, Personhood and Relatedness among Malays of Pulau Langkawi. American Ethnologist, v. 22, n. 2, p. 223-41, 1995.

CARSTEN, J. (ed). Cultures of relatedness. New Approaches to the study of kinship. Cambridge: Cambridge Univ. Press, 2000.

CARSTEN, J. (ed). After kinship. New York/London: Cambridge University Press, 2004.

CARSTEN, J. (ed). A matéria do parentesco. Tradução de Vitor Hugo Kebbe. R@u Revista de Antropologia da UFSCar, v. 6, n. 2, p. 103-118, jul./dez. 2014.

COLLIER, J.; YANAGISAKO, S. Introduction. Gender and Kinship: Essays toward a Unified Analysis. Stanford: Stanford University Press, 1987.

CORRÊA, M.; SOUZA, E. R. (org.). Vida em família: uma perspectiva comparativa sobre "crimes de honra". Campinas: Pagu – Núcleo de Estudos de Gênero/Universidade Estadual de Campinas, 2006.

COSTA, Rosely Gomes. Concepção de filhos, concepções de pai: algumas reflexões sobre reprodução e gênero. 2001. Tese (Doutorado em Ciências Sociais) - Instituto de Filosofia e Ciências Humanas/Unicamp, 2001.

DEBERT, Guita Grin. Imigrantes, Estado e família: o cuidado do idoso e suas vicissitudes. In: HIRATA, Helena; GUIMARÃES, Nadya Araújo. (org.). Cuidado e cuidadoras: as várias faces do trabalho do care. São Paulo: Atlas, 2012.

DEBERT, Guita Grin; GREGORI, M. F.; BERALDO DE OLIVEIRA, M. (org.). Gênero, família e gerações: juizado Especial criminal e tribunal do Júri. Campinas: Pagu/ Núcleo de Estudos de Gênero - Unicamp, 2008.

DEBERT, Guita Grin; OLIVEIRA, Amanda Marques de. A profissionalização da atividade de cuidar de idosos no Brasil. Rev. Bras. Ciênc. Polít., Brasília, n. 18, p. 7-4, Dec. 2015.

DEBERT, Guita Grin; PULHEZ, Mariana Marques. Desafios do cuidado: Apresentação. In: DEBERT, Guita Grin; PULHEZ, Mariana Marques. (org.). Desafios do cuidado: gênero, velhice e deficiência. Campinas, IFCH/UNICAMP, 2017. Textos Didáticos, n. 66.

DROTBOHM, H.; ALBER, E. Introduction. In: E. Alber & H. Drotbohm (ed.). Anthropological perspectives on care: work, kinship, and the life-course. New York: Palgrave Macmillan, 2015. p. 1-20.

FERNANDES, Camila. Figuras da causação: sexualidade feminina, reprodução e acusações no discurso popular e nas políticas de Estado. 2017. Tese (Doutorado) - PPGAS/MN/UFRJ, 2017.

FERREIRA, Flávio Rodrigo Freire. A cidade em Festa: Nossa Senhora do Ó contando a sua história. 1. ed. São Paulo: Clube de Autores, 2011. v. 1. 120p.

FERREIRA, Flávio Rodrigo Freire. O preço da criança e a nova cultura da adoção: do cenário politico-legal às práticas de adoção em Natal/RN. Estudos de Sociologia, v. 19, p. 61-80, 2014.

FERREIRA, Flávio Rodrigo Freire. Adoção em movimento: grupos de apoio, famílias adotivas e campo (I)legal. Tese (Doutorado em Ciências Sociais) - IFCH/Unicamp, São Paulo, 2015.

FERREIRA, Flávio Rodrigo Freire. Os Forrós da Serra da Gameleira (São Tomé/RN): sociabilidade, festa e etnicidade. In: SCHWADE, Elisete; PEREIRA, Edmundo. (org.). Entre Interiores e Capitais: antropologia, formação e pesquisa no Rio Grande do Norte. São Paulo: Anna Blume, 2016. v. 1, p. 45-72.

FINAMORI, Sabrina. Os sentidos da paternidade: dos “pais desconhecidos” ao exame de DNA. 2012. Tese (Doutorado em Ciências Sociais) - IFCH/Unicamp, Campinas, 2012.

FINAMORI, Sabrina. Família e cuidado em narrativas de vida marcadas pela ausência paterna. Revista PerCursos, Florianópolis, v. 14, n.27, p. 87 - 115, jul./dez. 2013.

FINAMORI, Sabrina. Cuidado e consanguinidade na atribuição de responsabilidades intergeracionais. Revista Brasileira de Ciência Política, Brasília, n. 18, p. 243-263, Dec. 2015.

FINAMORI, Sabrina. Pais, mães e filhos: reconhecimento de filiação, obrigações, direitos e afetos. Relatório Final de Pesquisa de pós-doc. Campinas: Pagu/Unicamp. (FAPESP, processo 2012/51741-8), 2016.

FINAMORI, Sabrina. Os sentidos da paternidade: dos “pais desconhecidos” ao exame de DNA. Rio de Janeiro: Papeis Selvagens, 2018.

FONSECA, Claudia. Caminhos da adoção. São Paulo, Cortez.1995.

FONSECA, Claudia. De afinidades a coalizões: uma reflexão sobre a 'transpolinização' entre gênero e parentesco em décadas recentes da antropologia". Ilha, v. 5, n. 2, p.5-32, 2003.

FONSECA, Claudia. Transnational Influences in the Social Production of Adoptable Children: The Case of Brazil. International Journal of Sociology and Social Policy, v. 26, n. 1-2, p. 154-171, 2006.

FONSECA, Claudia. Apresentação - de família, reprodução e parentesco: algumas considerações. Cadernos Pagu, Campinas, n. 29, p. 9-35, Dec. 2007.

FRANKLIN, S. ‘From Blood to Genes? Rethinking Cosanguinity in the Context of Geneticization’. In: JOHNSON, C H; JUSSEN, B.; SABEAN, D. W.; TEUSCHER, S. (ed.). Blood and Kinship: matter for metaphor from Ancient Rome to the Present, New York and Oxford: Berghahn, 2013. p. 285-320.

GARCIA DOS SANTOS, Yumi. Olhares cruzados: Relações de cuidado, classe e gênero. Tempo Social, USP, v. 26, p. 47-60, 2014.

GEORGES, I. P. H. O outro lado da formalização do trabalho do care no Brasil. Percursos, Florianópolis, v. 16, p. 169-187, 2015.

GROSSI, Miriam. Gênero e parentesco: famílias gays e lésbicas no Brasil. Cadernos Pagu, Campinas, n. 21, p. 261-280, 2003.

GROSSI, Miriam; SCHWADE, E. (org.). Política e cotidiano: estudos antropológicos sobre gênero, família e sexualidade. Blumenau: Nova Letra, 2006.

GUIMARAES, Nadya Araujo; HIRATA, Helena Sumiko; SUGITA, Kurumi. Cuidado e cuidadoras: o trabalho do care no Brasil, França e Japão. Sociol. Antropol., Rio de Janeiro, v. 1, n. 1, p. 151-180, June 2011.

HEILBORN, M. L.; DUARTE, L. F. D.; PEIXOTO, C.; LINS DE BARROS, M. Sexualidade, família e ethos religioso. Rio de Janeiro: Garamond, 2005.

HIRATA, Helena; GUIMARÃES, Nadya Araujo. Cuidado e Cuidadoras: as várias faces do trabalho do care. São Paulo: Editora Atlas, 2012.

HIRATA, Helena. Gênero, classe e raça: interseccionalidade e consubstancialidade das relações sociais. Tempo Social, v. 26, n. 1, p. 61-73, 2014.

HIRATA, Helena; DEBERT, Guita Grin. Apresentação do Dossiê Gênero e Cuidado. Cadernos Pagu, Campinas, n. 46, p.7-15, 2016.

HOCHSCHILD, Arlie R. “Love and Gold.” ed. Ehrenreich, Barbara, and Arlie R. Hochschild. Global Woman: Nannies, Maids, and Sex Workers in the New Economy. New York: Metropolitan Books, 2003.

LAMBEK, Michael. The cares of Alice Alder: recuperating kinship and history in Switzerland. In: CARSTEN, Janet (org.). Ghosts of memory: essays on remembrance and relatedness. Malden: Blackwell, 2007.

LEACH, Edmund. Nascimento virgem [1966]. In: DA MATTA, R. Edmund Leach. São Paulo, Ed. Ática, 1983.

LALLEMAND, Suzanne. La circulation des enfants en société traditionnelle. Prêt, don, échange. Paris: Harmattan, 1993.

LUNA, Naara. Provetas e Clones: teorias da concepção, pessoa e parentesco nas novas tecnologias reprodutivas, Tese de Doutorado, Rio de Janeiro: Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social, Museu Nacional, Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2004.

MACCORMACK, Carolyn; STRATHERN, Marilyn (ed.). Nature, culture and gender. Cambridge: Cambridge University Press, 1980.

MACHADO, I. J. R.; MARQUES, A. C. D. R. Entrevista com Janet Carsten. R@U: Revista de Antropologia Social dos Alunos do PPGAS-UFSCAR, v. 6, p. 147-159, 2016.

MACHADO, Igor José. A antropologia de Schneider: pequena introdução. São Paulo, EdUFSCAR, 2013.

MOORE, Henrietta L. Understanding sex and gender. In: INGOLD, T. (org.) Companion Encyclopedia of Anthropology, Londres: Routledge, 1997. p. 813-830.

NEEDHAM, Rodney. Remarks on the Analysis of Kinship and Marriage. In: NEEDHAM, Rodney (ed.). Rethinking Kinship and Marriage. London: Tavistock, 1971.

OLIVEIRA, Leandro. Os sentidos da aceitação: família e orientação sexual no Brasil Contemporâneo. 2013. Tese (Doutorado em Antropologia Social) - PPGAS/MN/UFRJ, 2013.

OLIVEIRA, Amanda Marques. A invenção do cuidado: entre o dom e a profissão. 2015. Tese (Doutorado em Ciências Sociais) - IFCH, Campinas, 2015.

PARREÑAS, Rachel. Long distance intimacy: class, gender and intergenerational relations between mothers and children in Filipino transnational families. Global Networks, v. 5, n. 4, p. 317-336, 2005.

PARREÑAS, Rachel. Mothering from a distance: emotions, gender, and inter-generational. Feminist Studies, v. 27, Summer, 2001.

PEIXOTO, Clarice. Sobre a institucionalização da velhice e as condições de asilamento. In: GOLDEMBERG, Mirian. (org.). Corpo, velhice e Felicidade. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2011.

PISCITELLI, A. Nas fronteiras do natural: gênero e parentesco. Estudos feministas, n. 2, p. 305-321, 1998.

PISCITELLI, A. Joias de família. Rio de Janeiro: Ed. UFRJ, 2006.

PULHEZ, Mariana Marques. Mulheres mamíferas: práticas da maternidade ativa. 2015. Dissertação (Mestrado em Antropologia Social) - Unicamp, Campinas, 2015.

RAMIREZ-GALVEZ, Martha. Novas tecnologias reprodutivas conceptivas: fabricando a vida, fabricando o futuro. 2003. Doutorado (Ciências Sociais) - Instituto de Filosofia e Ciências Humanas/ Unicamp, 2003.

SAHLINS, M. What kinship is... and is not. Chicago: The University of Chicago Press, 2013.

SANCTIS, Raíza. Crack, dor e família: emoções e circulação de objetos entre usuários de crack. 2018. Dissertação (Mestrado em Antropologia Social) - Unicamp, Campinas, 2018.

SANJURJO, Liliana Lopes. Sangue, identidade e verdade: memórias sobre o passado ditatorial na Argentina. Tese de doutorado em Antropologia Social. Campinas: Unicamp, 2013.

SCHNEIDER, David. American Kinship. Chicago: University of Chicago Press. 1980 [1968].

SCHNEIDER, David. A critique of the study of kinship. Ann Arbor, MI: University of Michigan Press, 1984.

SCHNEIDER, David. Parentesco americano: uma exposição cultural. Petrópolis: Vozes, 2016.

SORJ, Bila. Arenas do cuidado nas interseções entre gênero e classe social no Brasil. Cadernos de Pesquisa, v. 43, n. 149, p. 478-91, 2013.

SOUZA, Erica Renata. Necessidade de filhos: maternidade, familia e

(homo)sexualidade. 2005. Tese (Doutorado em Ciências Sociais) – Unicamp, Unicamp, 2005.

STRATHERN, Marilyn. No nature, no culture: the hagen case. In: MACCORMACK, C.; STRATHERN, M. (ed.). Nature, Culture and Gender. Cambridge University Press, 1980.

STRATHERN, Marilyn. Self-interest and the social good:`some implications of Hagen gender imager. In: ORTNER, S.; WHITEHEAD, H. (ed). Sexual meanings: the cultural construction of gender and sexuality. Cambridge, Cambridge University Press, 1981.

STRATHERN, Marilyn. Producing difference: connections and disconnections in two new guinea highland kinship systems. In: COLLIER, J. F.; YANAGISAKO, S. J. (ed.). Gender and Kinship: essays toward a unified analysis. Stanford, CA: Stanford University Press, 1987, p. 271-300.

STRATHERN, Marilyn. After nature. English Kinship in the Late Twentieth Century. Cambridge: Cambridge University Press, 1992.

STRATHERN, Marilyn. Kinship, law and the unexpected: relatives are always a surprise. Cambridge: Cambridge Univ. Press, 2005.

STRATHERN, Marilyn. O Gênero da Dádiva. Campinas: Ed. da Unicamp, 2006 [1988].

TSING, A.; YANAGISAKO, S. Feminism and kinship theory. Current Anthropology, v. 24, n. 4, p. 511-516, 1983.

THORNE, B. Feminism and the family: two decades of thought. In: THORNE, B. e YALOM, M. (org.). Rethinking the family: Some feminist questions. Boston, Northeastern University Press, 1992.

ZELIZER, Viviana A. A negociação da intimidade. Tradução de Daniela Barbosa Henriques. Petrópolis: Vozes, 2011.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2176-6665.2018v23n3p11

Direitos autorais 2019 Mediações - Revista de Ciências Sociais

Mediações - Revista de Ciências Sociais

Londrina - PR

ISSN: 1414-0543

EISSN: 2176-6665

Email: mediacoes@uel.br


Creative Commons License

 

Todos os artigos científicos publicados em mediacoes@uel.br estão licenciados sob uma Licença Creative Commons